Vereadores repudiam críticas do deputado estadual José Ricardo

Manaus – Os vereadores reagiram com veemência, na manhã desta quarta-feira (3), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), a uma suposta declaração do deputado José Ricardo Wendling (PT), da tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

O deputado teria dado uma bronca, como classificou o vereador Luiz Alberto Carijó (PDT), criticado a desinformação dos vereadores em relação ao aumento da tarifa de ônibus e insinuando que a audiência pública, da qual participou, realizada na segunda-feira (1º de abril) teria sido um jogo de cena dos vereadores.

Revoltado com a suposta declaração do deputado, Carijó disse, da tribuna, estranhar o posicionamento e José Ricardo. “Na prática deu “pito” nos vereadores, pois disse que estávamos desinformados em relação à tarifa, ou pior, insinuou um conluio ou complô, como se o reajuste da tarifa fosse um crime de lesa pátria e como se fossemos bandidos envolvidos no crime”, garantiu.

O vereador afirmou ter respeito por José Ricardo por ter sido um exemplar vereador que chegou a deputado estadual, mas isso não lhe dá o direito de dar uma chamada dessas nos vereadores. “Ele tem todo o direito de discutir a planilha, de questionar, mas não levantar suspeição da Casa e dos vereadores, sob pena de desqualificar os próprios vereadores do PT, que fazem oposição altiva na CMM, e também os coloca como se estivessem fazendo conluio e um “jogo de faz de conta”. Segundo ele, a decisão do reajuste da tarifa foi técnica e não é com ladainha e choro que o problema será resolvido. “Lamento. Acho infeliz às declarações do deputado, que deveria se preocupar com os interesses do Estado e ser vereador novamente para aparecer na mídia”, acrescentou.

Outro que se mostrou indignado foi o vereador Iran Nicolau (PSD). Ele classificou o discurso de José Ricardo um “jogo de cena”. O deputado estadual, segundo ele, gosta de aparentar que sabe de tudo, mas não sabe. “O reajuste da tarifa é de competência do prefeito”, argumentou ele, ao lembrar que quando José Ricardo foi vereador, passou por três reajustes de tarifa. “Alguma vez ele conseguiu diminuir a tarifa nesse período”, questionou. Nicolau chegou a comparar o deputado petista com um jogador “banheirista de pelada”, que só fica esperando a bola para fazer o gol. “Assim é fácil fazer política. É fácil fazer oba-oba”, completou.

Marcelo Serafim (PSB) foi outro vereador que reagiu com veemência ao suposto ataque de José Ricardo. Ele se referiu ao deputado, como vereador, ao explicar que como deputado ainda não fez nada. “Psicologicamente ainda é um vereador. Ele não se preocupa com o conjunto, com o coletivo. Para mim é desconfortável falar de um homem que admiro, mas esse seu posicionamento envergonha seus admiradores, como eu”, ressalvou.

Para o vereador é inadmissível que venha à tribuna discutir o reajuste e debater sem trazer dados, sem questionar um único dado da planilha. “Não discordou de nada, concordou com tudo, e disse que a planilha estava correta, só não confiava nos dados, colocando em dúvida as informações da SMTU (Superintendência Municipal de Transportes Urbanos). Para ele, a atitude tomada pelo deputado, ao ir à tribuna atacar os vereadores, foi de moleque e covarde. “O deputado é um homem de estatura e não pode se apequenar do jeito que se apequenou. É vergonhoso não ter tido coragem de falar tudo na nossa cara”, assegurou.

Marcelo Serafim disse não entender como José Ricardo, que é economista, e não discute a Zona Franca de Manaus (ZFM) com grandeza. “Infelizmente tenho que fazer críticas ao amigo e companheiro, a quem admiro muito, mas ele rasgou parte de sua história ao agir com covardia”, disse.

O vereador Rozenha (PSDB) também engrossou o coro de parlamentares que rebateram as declarações do deputado. “Acho que o deputado, em um momento de infelicidade, e levado por um momento de oportunismo, atacou os vereadores. O PT é governo federal e estadual, mas ele teima em dizer que não é. Atacou os seus pares e inclui os três companheiros dele de partido, quando diz que os vereadores estavam fazendo “H” com a audiência pública. “Registro meu repúdio e tristeza com políticos que primam pelo oportunismo, denegrindo seus companheiros”, destacou.

Francisco da Jornada (PDT) afirmou que José Ricardo foi infeliz com as palavras. Segundo ele, a questão da tarifa deve ser discutida na CMM e não na Assembleia. “Na hora que quiser discutir, que venha à Casa, mas sem baderna”, argumentou.

O professor Samuel (PPS) também não gostou das declarações do deputado. Segundo ele, José Ricardo não pode desmerecer os vereadores ao dizer que não entendem nada de tarifa. “Desmerecer os 41 vereadores é brincadeira”, disse. Segundo o professor, a presidente Dilma vai para a criação do 39º ministério, enquanto o prefeito Arthur Neto está conseguindo reduzir o número de secretarias para dar funcionalidade à administração pública. “Me preocupa esse discurso após o deputado passar seis anos na Casa e agora menosprezá-la. Mas ainda tem chances de se retratar”, lembrou.

Líder do prefeito na Casa legislativa municipal, o vereador Wilker Barreto (PHS) disse que a CMM não pode cercear a palavra de ninguém, mas que tem o direito de exigir que as pessoas que participem dos debates venham com conteúdo. Segundo ele, para os novos parlamentares causou estranheza o discurso do deputado, mas para os mais antigos vereadores, não. “É o mesmo, evasivo, sem conteúdo, sem objetivos e não apegado a fatos. Agora, o que não abro mão é que a discussão do transporte coletivo seja aqui dentro”, ressaltou.

Segundo ele, se o deputado desconfia dos dados apresentados pela SMTU na audiência, que entre na Justiça. “Me entristece, mas não me surpreende a atitude descortês do deputado”, disse ao acrescentar que as críticas do parlamentar não têm base e nem sustentação.

Moção de Repúdio

Ainda nessa mesma linha, o vereador Felipe Souza (PTN), apresentou uma Moção de Repúdio às críticas do deputado José Ricardo, a ser encaminhada à Assembleia legislativa do Amazonas. “Ele foi vereador por seis anos e não apresentou solução para o transporte público. Agora dizer que os vereadores estão por fora e nada sabem é covardia”.

Presidente da Comissão de Transporte, Viação e Obras Pública (COMTVOP), Rosivaldo Cordovil (PTN) pediu para assinar a moção de repúdio. “Estamos imbuídos em representar o povo e buscar entendimento para melhorias para a cidade. A comissão vai estar atenta e também pedir a instalação da comissão de transporte junto à SMTU”, afirmou.

Fonte: Dircom/CMM
Fotografia: Robervaldo Rocha/ CMM

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.