Tuk tuk como meio de transporte começa a ganhar espaço no Brasil

O triciclo ou Tuk tuk, como modal, começa a ganhar as ruas brasileiras
O triciclo ou Tuk tuk, como modal, começa a ganhar as ruas brasileiras
O triciclo ou Tuk tuk, como modal, começa a ganhar as ruas brasileiras

Brasil – O meio de transporte, conhecido na Índia e China como tuk-tuk ou riquixá, é um dos veículos mais comuns de países asiáticos, sobretudo na Índia. O veículo mistura características de motos, como baixo consumo de combustível e o preço, e a proteção típica dos automóveis. Levando em conta esses benefícios, por que não trazer os triciclos para o Brasil?

Na verdade, uma empresa já teve essa ideia: a Motocar, empresa paulista que está vendendo os veículos desde o começo do ano. A intenção da montadora é oferecer os tuk-tuks como uma oportunidade de negócio para seus clientes. Além disso, para ampliar as vendas, oferece um modelo de concessionária para os interessados em vender o produto.

A formatação do negócio demorou quase cinco anos e a inspiração veio de um país bem mais próximo que a Índia. “Em 2009, em uma viagem ao Peru, onde o triciclo é usado em regiões mais afastadas dos grandes centros, um dos futuros fundadores da Motocar percebeu que poderia adaptar a ideia ao Brasil”, diz Fábio Di Gregório, diretor de relações institucionais da Motocar.

Entre 2009 e o fim de 2013, a Motocar desenvolveu o produto e trabalhou na regulamentação do triciclo. Como ninguém produzia nada parecido por aqui, o riquixá passou por uma série de homologações. “Pensamos que a burocracia levaria duas semanas, mas precisamos de dois anos para passar por essa etapa”, afirma o diretor. Entretanto, a espera valeu a pena, pois os veículos da Motocar estão autorizados a transitar em qualquer via do território nacional. O lançamento oficial da montadora aconteceu em novembro do ano passado.

A Motocar produz três tipos de triciclo: um para passageiros – com capacidade para o condutor, dois passageiros e espaço para bagagem – e dois para carga, um com carroceria aberta e o outro fechado. O veículo para passageiros tem preço sugerido de R$ 10,9 mil.

Os de carroceria aberta custam R$ 12,9 mil e R$ 13,9 mil, sendo que o fechado é o mais caro. Além da economia na aquisição dos tuk-tuks, o empreendedor economiza no futuro, segundo o diretor. “Os custos de manutenção representam 1/3 do valor gasto com carros.”

Este piloto, está preparado para transportar turistas pelas ruas de Brasilia
Este piloto, está preparado para transportar turistas pelas ruas de Brasilia

Segundo Di Gregório, o triciclo de passageiros foi desenvolvido para ser um táxi, com foco em cidades menores. O problema é que a legislação sobre transporte coletivo privado varia de cidade para cidade, o que atrapalha um pouco as vendas. “Estamos conversando com prefeituras dispostas a aceitar os triciclos”, diz o diretor.

O veículo de passageiros também está sendo aproveitado em passeios turísticos e usado por hotéis como opção de transporte para seus hóspedes.

Os triciclos de carga, por sua vez, podem ser utilizados para o transporte de mercadorias e para a venda de alimentos. A autorização para estacionar um veículo e oferecer comida também varia dependendo do município. Neste caso, por outro lado, há um atenuante: em abril, São Paulo, a maior cidade do Brasil, liberou a venda de alimentos sob condições bastante favoráveis. “Há pet shops itinerantes, brinquedos, vendedores de churrasquinho grego e muitos outros negócios funcionando em nossos veículos”, afirma Di Gregório. Para dirigir um triciclo, o condutor deve ter habilitação na categoria A, a mesma de motos.

Lei Seca

Em Brasília, São Paulo e outras cidades, os proprietários de bares e r4staruatntes, devido as dificuldades no trafego carregado e a Lei Seca, os proprietários resolveram se valer dos triciclos para conduzir os bebuns para casa ou hotéis e com isso, manter a boa frequência dos fregueses, que dessa forma poderão continuar com os estabelecimentos com boa frequência e a turma da gelada, poderá encher a cara, sem se preocupar com a lei seca, que está tirando os clientes dos bares brasileiros.

O Tuk tuk, utilizado no t5anporte de pequenas cargas
O Tuk tuk, utilizado no t5anporte de pequenas cargas

O Tuk-Tuk, triciclo, muitíssimo econômico, tem velocidade máxima de 30 KM/hora por ser um veículo curto e estreito pode estacionar com certa facilidade. Sua capacidade de lotação é de dois passageiros e é obrigatório o uso do cinto de segurança e o capacete no caso é abolido.

“Melhor que franquia”

Os triciclos podem ser encontrados em revendedores autorizados, concessionárias ou diretamente da fábrica da Motocar. As concessionárias não são próprias das montadoras, mas um investimento de empreendedores que acreditam no negócio.

O modelo tem características próprias de franquias: as operações têm o nome da Motocar e seguem uma identidade visual. No entanto, não precisam pagar taxas pelo licenciamento da marca. “As relações entre montadoras e distribuidoras seguem uma legislação própria, conhecida como Lei Ferrari”, diz de Gregório.

O investimento inicial em uma concessionária gira em torno de R$ 300 mil, usados para compra de veículos e peças, adequação do ponto de venda e capital de giro.

Viajando de Tuk tuc com tranquilidade
Viajando de Tuk tuc com tranquilidade

“Nosso foco é lucrar fabricando os triciclos, não com taxa sobre taxa como muitas vezes acontece no setor de franquias. As concessionárias têm essa vantagem”, diz o diretor. Atualmente, há 15 concessionárias da Motocar espalhadas em quatro regiões brasileiras – só o Centro-Oeste não tem unidades por enquanto.

Expansão

O plano da Motocar é vender 1,5 mil triciclos até o fim deste ano. Segundo Di Gregório, a montadora vem batendo metas mês a mês e deve até ultrapassar a estimativa inicial. Ao mesmo tempo, a empresa quer fechar 2014 ampliando o número de concessionárias de 15 para 25.

Os interessados nos triciclos podem ir ao distribuidor mais próximo – este mapa é bastante útil na busca – ou entrar em contato com a montadora. Um formulário de contato para eventuais compradores e uma página para quem pensa em abrir uma concessionária podem ser encontrados no site da empresa.

Amazonianarede-Empresas e Negócios

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.