Temer anuncia Caffarelli no BB e Occhi na presidência da Caixa

Os futuros presidentes, do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal

 

Os futuros presidentes, do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal
Os futuros presidentes, do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal

Brasilia – O presidente interino Michel Temer definiu nesta quarta-feira (25) o nome do ex-secretário-executivo do Ministério da Fazenda Paulo Caffarelli para a presidência do Banco do Brasil. O executivo trabalhou por 30 anos na instituição federal, chegando ao cargo de vice-presidente. Atualmente, era diretor-executivo da siderúrgica CSN.

Até a tarde de ontem, o nome do presidente da Infraero, Gustavo do Vale, era o mais cotado para assumir o comando do Banco do Brasil.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, chegou a convidar o diretor financeiro da Petrobras, Ivan Monteiro, para presidir o banco, do qual ele foi vice-presidente antes de ir para a estatal.

Monteiro, porém, recusou o convite depois que foi convidado pelo novo presidente da Petrobras, Pedro Parente, a permanecer na estatal. Ao recusar a oferta de Henrique Meirelles, ele argumentou que precisa reestruturar a dívida da petroleira, a maior do mundo entre as empresas.

CAIXA

O governo também definiu o nome de Gilberto Occhi para presidir a Caixa Econômica Federal. Indicado pelo PP, ele já foi ministro da Integração Nacional durante o governo Dilma Rousseff.

Pediu demissão quando seu partido aderiu ao grupo que defende o impeachment da hoje presidente afastada.

A demora na divulgação dos novos diretores de bancos oficiais estava preocupando o PP, que negociara a indicação de Occhi para a Caixa durante a abertura do processo de impeachment de Dilma na Câmara.

Após a reunião, um assessor de Temer disse que não haverá recuo na escolha do nome indicado pelo PP, apesar de a equipe de Meirelles desejar outra opção.

A atual presidente da Caixa, Miriam Belchior, foi exonerada. Petista, foi ministra do Planejamento do governo Lula e nomeada para a instituição pela presidente Dilma.

Interinamente, até Occhi ser nomeado, ficará no comando da Caixa Joaquim Lima de Oliveira, funcionário do banco e vice-presidente de Tecnologia da Informação.

Indicado para presidir o Banco Central, Ilan Goldajn será sabatinado pelo Senado na próxima quarta (1º), o que viabilizará sua participação na reunião de julho do Copom –responsável por definir a taxa básica de juros.

Ficou definido ainda que o atual presidente do Banco do Nordeste, Marcos Holanda, será mantido. Ele é indicação do líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE).

AGÊNCIAS REGULADORAS

O governo definiu ainda que, em todas as novas indicações e substituições em agências reguladoras, o principal requisito será que o indicado seja técnico do setor.

RAIO-X PAULO CAFFARELLI – BANCO DO BRASIL

> Trabalhou por 30 anos no banco e chegou à vice-presidência

> Foi secretário-executivo do Ministério da Fazenda, sob a gestão Guido Mantega

> Atualmente, atuava como diretor-executivo da CSN

GILBERTO OCCHI – CAIXA

> Funcionário de carreira da Caixa Econômica Federal

> Comandou o Ministério das Cidades, no primeiro mandato de Dilma Rousseff

> No ano passado, foi para a pasta da Integração Nacional

BANCOS PÚBLICOS SOB TEMER

BNDES

MARIA SILVIA BASTOS MARQUES, 59

> Diretora e presidente da CSN (1996-2012)

> Assessora do BNDES (1991-1992)

> Secretária de Fazenda da cidade do Rio (1993-1996)

> Presidência da Empresa Olímpica Municipal (2011-2114)

BANCO DO NORDESTE DO BRASIL

MARCOS HOLANDA

Economista cearense, é indicação do líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira

BANCO DA AMAZÔNIA

Indefinido

Amaznianarede-Agencia Foho

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.