Taiti marca, mas Nigéria cumpre papel e goleia com três de Oduamadi

Embora tenha entrado em campo menos de dois dias depois de chegar ao Brasil, a Nigéria tinha como missão golear o Taiti nesta segunda-feira para contar com chances de avançar na Copa das Confederações.

E cumpriu sua missão. Apesar de um histórico gol do time da Oceania, o campeão africano venceu por 6 a 1 e ainda tem o artilheiro do torneio: Oduamadi, autor de três gols.

O atacante aproveitou a oportunidade que teve diante de uma equipe composta quase totalmente por atletas amadores. E seus colegas também. Contra uma defesa sempre mal posicionada, a Nigéria fez 3 a 0 em 26 minutos, com Echiejile e Oduamadi, duas vezes, marcando gol.

Os africanos foram displicentes e levaram um gol histórico do Taiti, que balançou as redes com Jonathan Tehau, que marcou de cabeça aos nove. Mas o zagueiro fez gol contra e Oduamadi Echiejile de novo completaram a goleada previsível de um time de profissionais contra amadores.

O Taiti volta a campo na quinta-feira, no Maracanã, diante da Espanha, atual campeão mundial e bicampeã europeia, às 16 horas (de Brasília). A Nigéria, líder do grupo B por ter saldo maior do que a Fúria (espanhois venceram por 2 a 1 na estreia), enfrenta o Uruguai às 19 horas, em Salvador.

O jogo – O Taiti não precisou de muito tempo para mostrar que era o seu principal adversário. Embora motivado, mexendo-se intensamente desde que a bola foi rolada pela primeira vez, a equipe mostrou falta de condição para enfrentar qualquer grupo com profissionais do outro lado, sem se posicionar corretamente principalmente na proteção ao goleiro Samin.

A Nigéria, por sua vez, já previa problemas com desgaste e impôs um ritmo veloz para abrir vantagem no primeiro tempo, pensando em descansar depois do intervalo. E os africanos ainda mostraram outro problema na vida taitiana: também faltava azar aos estreantes em competições da Fifa.

Aos quatro minutos, uma bola rebatida da defesa do time da Oceania bateu no árbitro e sobrou para Echiejile. O jogador ajeitou e chutou, com a bola passando por baixo de Aitamai, desviando na perna de Jonathan Tehau antes de acertar o peito do capitão do Taiti, Vallar. Completamente deslocado no lance, Samin nada pôde fazer para evitar o gol.

Vallar bateu no campo, lamentando o seu desvio. Mas a jogada só antecipou o início de uma goleada certa. Nem adiantou Varihua, único profissional do Taiti, obrigar Enyema a fazer boa defesa no minuto seguinte. Aos nove, Oduamadi driblou Vallar e Ludivion como quis para fazer 2 a 0.

E a Nigéria logo entendeu que o Taiti não sabia marcar com a zaga em linha, como se propunha. Bastava uma rápida troca de passes para sair na frente do goleiro Samin. Assim, Musa driblou todos e não empurrou a bola para o gol vazio porque bateu de canela, em lance bisonho que nem parecia de um profissional diante de amadores.

Musa, porém, era quem mais se aproveitava da falta de qualidade dos adversários. Cansou de ir à linha de fundo pela esquerda e cruzar rasteiro, sempre encontrando um companheiro livre entre a marca do pênalti e a pequena área. Aos 25 minutos, o atacante errou o cruzamento, mas Samin deixou de ser vítima para ser causa de um gol nigeriano: soltou a bola nos pés de Oduamadi, que não teve nenhum esforço para fazer mais um.

Estava tão fácil que os africanos deixaram de jogar com intensidade e adotaram a displicência. Desta forma, Ujah menosprezou demais Samin ao tentar driblá-lo e perder chance clara, assim como Mba, que mal ajeitou o corpo para vencer o goleiro e também deu oportunidade para o goleiro do Taiti fazer nova defesa.

Com espaço, a equipe da Oceania cresceu. E teve uma grande jogada pela ponta de Chong Hue, desperdiçada por falta de qualidade de seus companheiros. E ainda cabeceou por cima do travessão aos 42 minutos, mostrando que a displicência nigeriana poderia ser prejudicial.

A prova disso ocorreu no segundo tempo. Aos nove minutos, o goleiro Enyeama nem subiu para cortar uma cobrança de escanteio e Jonathan Tehau fez história, cabeceando nas redes. Parecia que o Taiti tinha conquistado um título, já que o objetivo do país era, ao menos, fazer gol na Copa das Confederações.

E fazer mais do que isso era realmente um sonho. O próprio Jonathan Tehau fez gol contra ao tentar cortar um bate-rebate na área, aos 14 minutos. E os nigerianos, mesmo descansados, fizeram sua parte ampliando a goleada e conseguindo um bom saldo de gols aos marcar mais um com Oduamadi, aos 31, e Echiejile, aos 35. Oduamadi ainda fez um quarto gol, anulado incorretamente por impedimento.

(Gazeta) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.