Suspeito de liderar rede de narcotráfico, Cartes é eleito presidente do Paraguai

Assunção – De acordo com o Sistema de Transmissão Resultados Preliminares (PERT, na sigla em espanhol), do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE) paraguaio, Horacio Cartes Manuel Jara, um empresário acusado de ter ligações com o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, venceu a eleição presidencial naquele país.

Os primeiros dados do PERT mostram que Cartes, candidato do Partido da Associação Nacional Republicana – o Partido Colorado (NRA) – recebeu cerca de 48% dos votos, enquanto Efrain Alegre, Candidato do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), ficou para trás com pouco mais de 30%. Mario Ferreiro, da Coalizão Avanza País (AP), e Aníbal Carrillo, da Coligação Frente Guasu (FG) atingiram pouco mais de 4% cada um.

A NRA retorna ao Poder Executivo após perder as eleições em 2008, contra a Aliança Patriótica para a Mudança (APC), que concorreu com Fernando Lugo, presidente afastado por um golpe, em 2011.

Wikileaks

De acordo com um telegrama vazado para o site do WikiLeaks, a operação de Heart of Stone(Coração de Ferro) “voltada especificamente para organizações financeiras na Tríplice Fronteira, os seus funcionários, e sua lavagem de dinheiro fornecedores, os investigadores norte-americanos implementaram estratégias e operações para atacar a infra-estrutura financeira da rede que lidera o tráfico de drogas no continente. Neste sentido, uma equipe internacional de investigação objetiva como prioridade o empresário paraguaio Horacio Cartes. Cartes é suspeito de lavagem de dinheiro do Banco Amambay, de sua propriedade. O dinheiro, gerado por métodos ilegais, provém da venda de narcóticos para os Estados Unidos.

O documento vazado para o WikiLeaks menciona que entre 6 e 9 de Dezembro de 2009 foi realizada uma reunião entre os membros da equipe de investigadores com a finalidade de trocar informações e definir estratégias para para atacar a organização liderada, supostamente, por Horacio Cartes. Durante a reunião, três abordagens foram propostas. Em primeiro lugar, os agentes envolvidos conversariam com William Cloherty, lobista em Washington, diretor da Tabaco EUA, INC. Acreditava-se que Cloherty teria uma perspectiva histórica das operações de tabaco entre oParaguai e os EUA e, mais diretamente, informações sobre a produção e venda de tabaco, e o movimento de dinheiro dos negócios de Cartes.

O plano de ação consistia na obtenção de documentos secretos, entrevistas, reuniões sigilosas, a verificação das informações e participação de agentes infiltrados no monitoramento das ações de Cartes e de seus gerentes Osvaldo Ganhe Salum e Juan Carlos López Moreira, no Paraguai. De acordo com o telegrama, Horacio Cartes é o cabeça da rede de lavagem de dinheiro na Tríplice Frontera, seguido por Salum, integrante do partido político Colorado, envolvido na importação de cigarros falsificados nos países da América do Sul, como assim como Carlos López Moreira.

Tabacaleras

A investigação foi conduzida por agentes DEA em Assunção e Buenos Aires, junto à Administração da Alfândega (Immigration and Customs Enforcement), o Serviço de Impotos Internos (IRS, na sigla em inglês) e o Centro de Operações de Combate Narco-terrorismo (Counter-narcoterrorism e o Centro de Operações (SOD/CNTOC, também na sigla em inglês), que contaram com o apoio oficial dos EUA para o Distrito Leste de Nova York, a Seção de Seqüestro de Bens do Escritório de Justiça para Lavagem de Dinheiro (DOJ, também em inglês), o Federal Reserve (Banco Central dos EUA), e o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros Estados Unidos (OFAC).

Horacio Cartes, eminente líder político e desportivo, é considerado um mago das finanças do futebol em seu país. Seus dois pilares são a Eastern Tabacalera S/A (Tabesa) e a Tabacos do Paraguai S/A. Ele está vinculado a empresas desportivas, ao Banco Amambay e várias fazendas e empresas do agronegócio.

Publicações do jornal argentino La Nación, de 2005, trouxeram a público que a marca Rodeo, fabricada pela Tabesa, era a que mais vendia cigarros ilegalmente na Argentina, uma vez que mais de 60% dos cigarros apreendidos eram desta indústria paraguaia. O primeiro relatório sobre Cartes é da Interpol, que data de 1988. Em 2000, a Secretaria Nacional Antidrogas localizou em sua estância, Nova Esperança, na zona rural de Cerro Kuatiá, na jurisdição de Capitán Bado (Amambay), uma aeronave com matrícula brasileira, que aterrizou de emergência e continha mais de 20 mil kilos de cocaína em pasta, além de 343.850 quilos de maconha prensada. Desde então, Cartes estaria na mira dos organismos antidrogas, até agora, no momento em que se elege presidente do Paraguai.

Fonte – Correio do Brasil 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.