SUFRAMA propõe alterações no seguimento de Duas Rodas no PIM

Amazonianarede – Suframa – Márcio Gallo

Manaus – O segmento de motocicletas do Polo Industrial de Manaus (PIM) foi mais uma vez tema de discussão organizada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), com objetivo de assegurar a competitividade do setor e agregar valor ao polo de motocicletas.

Estiveram presentes na reunião, realizada nesta terça-feira (19), no auditório da SUFRAMA, o superintendente adjunto de Projetos da autarquia, Gustavo Igrejas, o coordenador do Grupo Técnico Interministerial de Análise de Processos Produtivos Básicos (GT-PPB), Alexandre Cabral e representantes de empresas, sindicatos e associações ligadas ao polo de Duas Rodas.

Foi a segunda vez, desde dezembro, que a autarquia reuniu para discutir alterações nos Processos Produtivos Básicos (PPBs) de fabricantes de bens finais e de componentistas, visando agregar maior valor ao produto local. Com base em estudos realizados por técnicos da Coordenação-Geral de Acompanhamento de Projetos Industriais da SUFRAMA (CGAPI), Gustavo Igrejas sugeriu, dentro das alterações, aumentar o uso de insumos regionais e nacionais, diminuindo a importação de partes e peças para fabricação de motos.

“O crescimento da utilização de componentes importados é algo que preocupa tanto a superintendência quanto o Ministério do Desenvolvimento. A ideia é atender o pleito dos fabricantes de componentes sem prejudicar as empresas de bens finais. A intenção é que a produção final apresente agregação clara de valor”, destacou.

O presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), Marcos Fermanian, demonstrou satisfação com o resultado da reunião e afirmou estar confiante com o caminho traçado pela autarquia.

“A nossa expectativa é a mesma da SUFRAMA, de ter um processo que seja justo para as marcas que estão sediadas aqui e que seja justo para os componentistas também. Devemos revisar a sistemática do PPB para que haja um equilíbrio para todos que são atendidos por esses processos produtivos”, disse.

O diretor-executivo do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), Franklin Neto, classificou as propostas levantadas pela SUFRAMA como “extremamente positivas por propor, dentro outros pontos, exatamente a questão da valorização do produto nacional, o que propicia desenvolver a região e o país”.

Grupo de estudo

Diante do quadro que o setor enfrenta – devido à crise de crédito que assolou o mercado nacional em 2012 e se estendeu até o início de 2013 – foi proposta a criação de um grupo de estudos para aumentar a competitividade do segmento. “A propositura do grupo é extremamente favorável, inclusive propiciando reduzir custos de produção e distribuição em relação aos mercados internacionais”, avaliou Fermanian.

Cristovão Marques, presidente da Associação das Indústrias e Empresas de Serviços do Polo Industrial do Amazonas (Aficam), sugeriu que a questão logística integre as discussões. “Questões como o desembaraço de produtos devem ser debatidas, pois é preciso enxugar qualquer tipo de burocracia. Devemos diminuir este entrave histórico do Polo Industrial”, pontuou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.