Servidores dos Correios em Manaus dizem sim e aderem a greve nacional

Servidores dos Correios, em Manaus, aderiram a greve nacional da catgegoria
Servidores  dos Correios, em Manaus, aderiram a greve nacional da catgegoria
Servidores dos Correios, em Manaus, aderiram a greve nacional da catgegoria

Manaus, AM – As greves nos mais diferentes seguimentos da administração federal, continua se espalhando pelo Brasil. Agora, os Carteiros e servidores das áreas operacionais dos Correios de Manaus entraram em greve nesta quarta-feira (16). Entre as reivindicações estão reajuste salarial, realização de concurso público, melhorias no plano de saúde e o pagamento do abono salarial no valor de R$ 200 proposto pela empresa quando a categoria entrou em greve em 2014.

Funcionários que aderiram à greve participaram de ato na Praça do Congresso, no Centro da cidade. Os trabalhadores decidiram parar as atividades após assembleia realizada na noite de terça-feira (15).

Segundo os Correios, a greve faz parte de um movimento nacional, e nos locais onde houver a paralisação das atividades, com em Manaus, a empresa aplicará medidas do plano de continuidade para garantir as entregas.

Hebet Amazonas, representante do comando de greve, que a assembleia teve cerca de 200 funcionários e aderindo ao movimento nacional, optaram pela greve.

Reivindicação

“Estamos pedindo um reajuste pelo  menos da reposição da inflação, o pagamento do abono salarial que a empresa ofereceu em 2014 e até agora não foi pago e também a realização de concurso público. Temos áreas operacionais que deveria ter 50 pessoas trabalhando e tem 20. Isso implica na sobrecarga de trabalho e em atrasos nas entregas de correspondências”, afirma.

A assessoria dos Correios informou, por meio de nota, que a empresa adotará um plano de continuidade para garantir as entregas. Sobre as reivindicações, a assessoria deu as seguintes informações:

O reajuste concedido no ano passado, também em forma de gratificação de incentivo à produtividade, que está sendo gradativamente incorporada conforme previsto no Acordo Coletivo, representou um aumento de quase 20% sobre o salário base dos carteiros.

O reajuste médio dos empregados dos Correios no período 2011-2014 foi de 36% (sendo até maior para os carteiro), para uma inflação de 27,3% no mesmo período. Além disso, os carteiros dos Correios recebem inúmeros benefícios, como vale-alimentação/refeição + cesta de cerca de R$ 1.000 mensais, adicionais de atividade, plano de saúde, auxílio creche/babá, bolsas de estudo, vale-cultura etc. Assim, os ganhos dos carteiros em início de carreira, considerando os benefícios, superam R$ 2 mil e dos funcionários de nível superior chegam a cerca de R$ 5 mil.

Desde 2011 os Correios promoveram aumento do efetivo em mais de 13 mil vagas (passou de 107 mil para 120 mil trabalhadores efetivos) e estão atualmente trabalhando na realização de um novo concurso público (2 mil vagas), conforme já foi divulgado.

A proposta apresentada pelo TST garantia a manutenção do plano de saúde (cláusula 28) da forma que está hoje e a formação de uma comissão para discussão do plano de saúde.

Amazonianarede-Assessoria movimento

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.