Serafim e Artur reeditam aliança política anterior

Manaus – O anúncio de apoio à candidatura de Artur Virgílio Neto à Prefeitura de Manaus, feito pelo ex-candidato Serafim Corrêa(PSB) no início da tarde desta quinta-feira (11), ganhou um tom de reedição do Movimento Muda Manaus, firmado em 1988 quando Artur foi candidato a prefeito pela primeira vez e derrotou o líder político da época, Gilberto Mestrinho. Artur deixou claro que vai estar com Serafim “nos próximos passos políticos”, formando um novo grupo político na cidade.

Artur e Serafim chegaram juntos na coletiva, às 14h desta quinta, para anunciar o apoio do PSB. Ambos foram muito aplaudidos pelos militantes, vereadores, vereadores eleitos, deputados e outros correligionários das duas coligações.

Serafim apontou que “dentre as duas candidaturas, tínhamos que fazer a nossa opção e fizemos pela candidatura do Artur. Não tenho nenhum problema com a Vanessa. Essa opção levou em conta vários fatores: uma das questões é a política. Entendemos que a vitória do Artur dá equilíbrio à política no Amazonas.

A segunda questão é que, fazendo um comparativo entre um e outro, entendemos que o Artur está mais preparado para governar Manaus. A terceira questão é que, na conversa que tivemos com o Artur, ele assumiu bandeiras de campanha nossas e isso ajudou que tomássemos essa decisão”, explicou Serafim, acrescentando que “Manaus é maior que qualquer divergência com qualquer um dos atores que estão aqui. Manaus é maior e agora é 40 + 5 = 45”, comemorou.

Artur agradeceu o apoio do socialista e apontou que “a conversa com ele (Serafim) foi muito curta no que tocava a decisão política. Eu percebi desprendimento, compromisso com a cidade de Manaus e a seriedade – coisas que não me surpreendem – na sua forma de conduzir sua vida política. Eu não hesitaria em fazer a mesma coisa que ele está fazendo, se fosse ele a ir ao segundo turno”, comentou.

Artur lembrou então dos tempos antigos “Vamos viver um momento muito bonito juntos Serafim! Vamos reeditar a epopeia do Muda Amazonas em 86, do Muda Manaus em 88. Sempre em busca de abrir espaços. Deveríamos ter ficado juntos até agora. As forças de renovação que somos ainda, ainda somos necessários para tocar um pouco essa orquestra”, destacou.

Artur apontou ainda que “o Serafim me fez exigências que eu assumisse programas deles que eu mesmo já havia pensado em adotar. Eu não tenho nenhuma dúvida em dizer que nós vamos assumir os programas de “um computador por aluno”, Mãe Manauara, domingueira e integração temporal completa, remédio fácil, nós teremos na carreta da saúde o paciente já vai sair com o remédio, eu vejo que é fundamental deixarmos o remédio nas mãos de quem procura a rede pública para ser assistido”, assegurou.

“Eu não quero inventar Manaus, eu não quero negar nada do que foi feito pra trás, mas também quero deixar a herança do planejamento de Manaus para 30, 40 anos. A nossa cidade tem que estar viva e só estará viva se tiver planejamento”, encerrou Artur.

(Texto: Jacira Oliveira-Foto: Ricardo Oliveira)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.