Seap inicia curso que prepara internos para atuação em linha de produção no presídio

Iniciado curso de linha de produção em presídio
Iniciado curso de linha de produção em presídio
Iniciado curso de linha de produção em presídio

Amazonas – Em um mês, 32 detentos do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) terão o certificado de conclusão do curso de Leitura de Componentes Eletrônicos e Solda Manual pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), promoveu a aula inaugural do curso nesta terça-feira, 10 de novembro.

O objetivo é preparar os internos para o trabalho em uma linha de produção da empresa Intelbras que será instalada na unidade até janeiro de 2016.

Com carga horária de 90 horas, as aulas serão ministradas em um mês. Para o secretário de Estado, Pedro Florêncio, o curso é a porta de entrada para os que desejam trabalhar na empresa que irá se instalar nas dependências da cadeia. “Aqui, nós pedimos que vocês demonstrem que querem essa oportunidade. Só a assim vamos poder saber quem poderá ser aproveitado”, disse o titular da Seap, durante a aula inaugural.

Mercado

Segundo o professor Elimar Vina, engenheiro elétrico responsável por repassar o conteúdo do curso aos presos, as técnicas aprendidas poderão ser aproveitadas não só pela empresa, mas por todo o mercado de trabalho. “Eles vão dominar o que é necessário para muitas indústrias aqui do Polo Industrial. Fora daqui eles poderão trabalhar com o que aprenderam porque o conteúdo é geral”, disse ele, destacando a profissão de assistente técnico de eletrônica como opção para os futuros egressos do sistema prisional.

Um dos participantes é Julianderson Castro Lima, de 23 anos, que conseguiu fazer parte dos selecionados para participar. Ele já participou do curso de Bombeiro Hidráulico que também foi desenvolvido pelo Cetam no CDPM. “Eu tenho aproveitado esse tempo preso pra me ocupar do que nunca quis saber lá fora. Aqui eu vejo o quanto um curso desse poderá me ajudar”, ressaltou.

Com início do curso a ansiedade se volta para a vaga na linha de produção que até janeiro deverá ter seus primeiros 16 funcionários na produção de porteiros eletrônicos, conforme projeto elaborado pela Intelbras. “Eu tenho estudado desde que entrei e vou tentar conseguir a vaga, espero que possa mostrar pra todos lá fora que estou mudando”.

Intelbras

  A ideia de colocar uma linha de produção no CDPM foi uma iniciativa da Seap, que buscou conhecer os projetos que a Intelbras já possui no Sul e Sudeste do Brasil. Nessas regiões, segundo o coordenador regional da empresa, Jorge Luiz dos Santos, mais de 400 reeducandos do sistema prisional estão trabalhando em linhas de produção.

”Nós já queríamos que essa parceria se tornasse realidade há algum tempo. Agora estamos retomando a ideia que é interessante tanto para empresa quanto para o Amazonas”, ressaltou Jorge Luiz.

Pedro Florêncio ressaltou que a iniciativa é ainda mais interessante para o estado, já que a Intelbras planeja um investimento em torno de 80 mil reais. Montante esse que o estado não poderia disponibilizar nesse momento por conta da crise econômica que afeta todo o país. “Essa iniciativa é boa para ambos, mas sem dúvida quem vai ganhar mais é o sistema prisional”.

O Termo de Cooperação Técnica está sendo elaborado para que a Seap e a Intelbras possam iniciar o trabalho de implantação. O objetivo é que em março de 2016 estejam trabalhando 38 homens na linha de produção. Em um ano, a Seap planeja que mais de 100 pessoas estejam com função remunerada na produção da Intelbras.

Em agosto, a Seap também anunciou a implantação de uma linha de produção das empresas Label Press no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj). No local, os futuros trabalhadores já foram treinados e estão esperando a inauguração do espaço para começar a trabalhar.

Amazonianarede-Semcom

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.