Saque forte e ‘erro zero’ são apontados como armas para conquista do título da Superliga

Rio – O que fazer para conquistar a Superliga masculina de vôlei? De um lado, uma equipe recheada de estrelas, com alto investimento e uma pressão a mais. Do outro, um time entrosado, acostumado a decisões e com um conjunto bem definido.

Neste domingo, às 10h, no Maracanãzinho, no Rio, RJX e Sada Cruzeiro disputam uma final com duas armas para a conquista: saque forte e “erro zero”.

– Vai ser um jogo bem parelho, sem favoritos, que será decidido nos pequenos detalhes. Cada erro em quadra pode custar o título. Precisamos encaixar bem o saque para evitar que o time deles tenha uma fácil recepção, pois o William com a bola na mão tem praticamente quatro opções de ataque. Então, temos forçar o erro deles na recepção para diminuírem as opções de virada de bola – analisou o central Lucão, da equipe carioca.

Para Dante, a qualidade do ataque e o entrosamento do time mineiro são justamente as principais armas do Cruzeiro para chegar ao seu segundo título consecutivo. Para evitar que isso aconteça, o ponteiro campeão olímpico com a seleção brasileiro corroborou com a opinião de Lucão e apontou o saque como fundamento essencial no domingo.

– Não existe favoritismo em um jogo como esse. Se por um lado nós temos um time com mais jogadores de seleção, com investimento alto, eles têm um conjunto muito bom. Acho que quem sacar bem no domingo terá grandes chances de levar o título. O Cruzeiro tem um poder de ataque fortíssimo. A bola na mão do William com um passe bom é mortal. Temos que errar pouco, isso vai ser fundamental.

Do outro lado, porém, o Cruzeiro entrará em quadra com as mesmas armas. Para Wallace, oposto e único representante do time celeste na seleção, forçar no saque vai fazer com que o conjunto e o volume de jogo de sua equipe se sobressaiam às qualidades individuais do RJX.

– Nosso time está preparado. Ainda há pequenos acertos para serem feitos, mas temos consciência do que precisamos fazer. O saque vai ser um fator importante para darmos volume e consistência à partida. Se encaixarmos bem esse fundamento, damos um grande passo ao título.

Esta será a terceira final consecutiva de Superliga do Cruzeiro. O time de Wallace e Cia tentará o bicampeonato. Na temporada 2010/2011, o time mineiro acabou derrotado pelo Sesi na decisão, mas sagrou-se campeão um ano depois ao bater o Vôlei Futuro na final.

O RJX, por sua vez, chega à decisão pela primeira vez. Na temporada passada, a primeira de sua história, o time carioca parou na semifinal, eliminado pelo Vôlei Futuro.

Fonte – iG

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.