Rondônia – Comissão de Direitos Humanos visita manifestantes de Rio Pardo

(Foto: Buritinews-RO)

Comissão de Direitos Humanos chegou à cidade de Buritis (RO), indo ao Hospital Regional e procurando informações sobre atendimento médico a algum manifestante ferido durante ataque aos Policiais Militares da Força Nacional.

Na manhã de sábado, 16/11/13, por volta das 11h30min, uma Comissão de Direitos Humanos chegou à cidade de Buritis (RO), indo ao Hospital Regional e procurando informações sobre atendimento médico a algum manifestante ferido durante ataque aos Policiais Militares da Força Nacional no Distrito de Rio Pardo/Porto Velho, na quinta-feira, dia 14/11/13.

Funcionários do hospital informaram que nenhum morador de Rio Pardo foi atendido, somente que havia entrado para atendimento um Policial Militar da Força Nacional, que já chegou morto. Membros da comissão fizeram várias indagações aos enfermeiros do hospital, sobre o ferimento que causou a morte do policial (tamanho do orifício de entrada, calibre da arma, se era arma longa ou não) e também perguntaram a situação emocional dos policiais da Força Nacional, se estavam tristes ou revoltados. Ao saberem que os militares estavam muito tristes e alguns choravam, um dos membros da Comissão disse: “se estavam tristes era porque poderia se tratar de um acidente, caso contrário estariam revoltados”.

A Comissão de Direitos Humanos era composta pelo advogado da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia, Ermógenes Jacinto de Souza; pela Coordenadora Executiva da Comissão Pastoral da Terra em Rondônia, Maria Petronila Neto; pela professora da Universidade Federal de Rondônia – UNIR, Marilza Miranda; e pelos advogados do CEBRASPO/Rio de Janeiro – Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos, José Sales Pimenta e Camila Valle.

Após almoçar na cidade de Buritis, a Comissão de Direitos Humanos, seguiu numa caminhoneta Hilux, prata, cabine dupla, até o Distrito de Rio Pardo, aonde chegou por volta das 16h. Na localidade procurou os manifestantes que atacaram os Policiais Militares da Força Nacional, para saber se algum estava ferido e precisando de alguma ajuda. Depois de percorrer as casas e conversar com as pessoas, a Comissão voltou para Buritis por volta das 18h.

Em Ariquemes, cidade localizada a 125 Km de Buritis, onde estão os Policiais Militares da Força Nacional que sobreviveram aos ataques dos manifestantes de Rio Pardo, eles aguardam a visita da Comissão de Direitos Humanos, porém esta não havia lhes procurado até o final da tarde de domingo, 17/11/2013.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.