Prosamim ensina sobre descarte correto de lixo no Dia Mundial da Água

Amazonianarede – Agecom

Manaus – O descarte correto do lixo doméstico foi tema de uma ação de sensibilização realizada pela coordenação do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), nesta quarta-feira (20), para moradores que vivem em um trecho de 100 metros às margens do igarapé do Mestre Chico, na Praça 14, zona sul de Manaus.

Nesta área, entre as ruas Codajás e Barcelos, está previsto num projeto de drenagem do igarapé e retirada de 22 famílias que vivem em condições precárias por conta da alagação e excesso de lixo descartado incorretamente pela comunidade. A intervenção deve ser executada até o final do ano por meio de uma parceria entre o Governo do Estado, através do Prosamim, e a Prefeitura de Manaus.

A ação de sensibilização aproveitou o apelo do Dia Mundial da Água (comemorado nesta quarta-feira) e também foi reforçada com um trabalho de campo executado por estudantes de medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que também percorreram a área para orientar a população sobre os problemas de saúde provocados pelo acúmulo de lixo no local.

De acordo com o biólogo do Prosamim, José Rodrigues, dados repassados pela Secretaria Municipal de Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp) apontam que cada indivíduo produz em média 0,8kg de lixo por dia. Em uma família de cinco pessoas a produção de lixo pode chegar a 4kg de resíduos diários.

“Se a família não sabe como descartar corretamente esses resíduos o acúmulo deles nos igarapés é exorbitante. O que nós queremos é mostrar que todo e qualquer tipo de lixo precisa ser coletado e depositado em lugar adequado próximo ao horário de coleta do carro do lixo”, disse o biólogo.

José Rodrigues destacou ainda a proliferação de doenças provocadas pela população de insetos e ratos com o excesso de lixo. “Esta área é identificada como foco de mosquito da dengue, além de ter muitos ratos que são responsáveis pela leptospirose”, pontuou, acrescentando que uma equipe do setor de meio ambiente do Prosamim também distribuiu panfletos orientando para estas questões.

A dona de casa e moradora há mais de 30 anos no local, Alaíde Lopes, 66, está na lista das famílias que serão remanejadas da área pelo projeto de drenagem do igarapé. Ela lamentou que nem todos os moradores tem a consciência de descartar corretamente seus resíduos domésticos.

“Aqui na minha casa o despejo do lixo é feito de acordo como orientou o biólogo do Prosamim, mas nem todos fazem a sua parte. Tem gente que joga móveis velhos no igarapé. Quando a água fica mais forte com a chuva esse lixo é arrastado para baixo de nossas casas ameaçando, inclusive, a estrutura que é de madeira”, comentou a dona de casa.

Até o final deste ano, 22 famílias que moram às margens do igarapé do Mestre Chico, num perímetro de 100 metros do lado esquerdo da rua Codajás, trecho entre a rua Duque Caxias e Castelo Branco, serão remanejadas pelo Prosamim em virtude de uma obra de drenagem neste trecho do igarapé, executada pela Prefeitura de Manaus. O objetivo da parceria entre Estado e Prefeitura é oferecer melhores condições de moradias a essas famílias, além de solucionar problemas relacionados à alagação na área.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.