Programa da UEA vai incentivar criação de novas empresas no Estado

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) lançou, na tarde desta terça-feira, 13 de agosto, a primeira incubadora de empresas da instituição.

A IN-UEA vai oferecer suporte técnico, financeiro e estrutural para 15 projetos de empresários e empresas de base tecnológica que atuem com ações de inovação. O edital para participar da seleção também foi lançado na mesma ocasião e pode ser acessado no site da UEA ( www.uea.edu.br ).

As empresas que forem aprovadas no edital vão receber além de apoio financeiro e estrutural, assessoria técnica, auxílio na captação de recursos e de mercado, consultorias e treinamento. Esse trabalho será realizado por técnicos e docentes da UEA. A incubadora atenderá empresas e projetos mistos, que tratem tanto de desenvolvimento tecnológico, quanto para o comércio em geral, que poderão ficar incubadas por até três anos.

De acordo com o idealizador e coordenador do projeto, o professor Wlademir Leite, a incubadora beneficiará quatro empresas residentes, que vão contar com o apoio e infraestrutura do local, como salas e equipamentos; oito empresas associadas, que já estão em funcionamento e receberão apoio para desenvolver os trabalhos; e três empresas na categoria hotel de projetos, que não estão implantadas, mas já possuem ideias concebidas.

Inovação – Wlademir explicou que, uma das poucas exigências feitas aos interessados em participar do processo seletivo é de que os projetos sejam inovadores. “Não queremos nada que não seja novo, nada que já exista no mercado. Nossas empresas têm por obrigação trabalhar com a inovação”.

Segundo ele, os responsáveis pelas empresas e projetos selecionados, além do suporte recebido, serão incentivados a participar de editais de financiamento estaduais e federais e da própria Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que atualmente não têm tido grande procura no Estado. Ele acredita que a procura pelo edital será grande. “Já venho recebendo algumas ligações, que demonstram o interesse em torno do programa”.

O coordenador, que é professor do curso de administração da UEA afirmou que a ideia de criação da incubadora começou há dois anos e foi pensada após se observar a necessidade da existência de projetos como esse e de estudar trabalhos semelhantes, que são desenvolvidos por outras instituições de ensino de Manaus.

Momento histórico – O reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, afirmou que o lançamento é um momento histórico para a instituição e que o momento é ideal para a implantação para esse tipo de projeto. “Essa é uma enorme oportunidade para que nós aprendamos sobre empreendedoramente. Todos temos que ter noção de como isso acontece”.

Incentivo da Fapeam – A incubadora da UEA conta com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e apoio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti-AM), inicialmente de R$ 100 mil.

A presidente da Fapeam, Maria Olívia Simão destacou a importância do incentivo a implantação de novas incubadoras. “As universidades são espaços importantes para o empreendedorismo, onde possam colocar em prática as ótimas ideias, em ambientes mais favoráveis, para que saiam bem preparados para o mercado que é voraz”.

Por meio de um programa do Governo do Estado, o Pró-incubadora, lançado pela Fapeam, foi disponibilizado, por meio de edital, R$ 1,7 milhão para o incentivo e apoio a novos projetos, como no caso da IN-UEA, e para incubadoras já existentes. O Amazonas tem hoje nove incubadoras e outras três devem ser criadas no interior do Estado.

(Foto: Roberto Carlos)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.