Prefeito de Nhamundá poderá ser cassado

Desta feita, o prefeito da vez é do município de Nhamundá, na região do baixo Amazonas. A juíza Eleitoral da Comarca de Nhamundá, Vanessa Leite, deverá decidir hoje se acata ou não pedido de cassação dos diplomas dos mandatos do prefeito da cidade, Gledson Hudson Paulain Machado (PDT), o Nenê Machado, e do vice-prefeito, Cleudo Oliveira Tavares, o Mantegão, da coligação Unidos Por Nhamundá ( PHS,PDT,PSL,PPL).

A coligação Todos Unidos Pelo Bem de Nhamundá (PMDB, PSD, DEM, PTB, PT, PC do B e PRB) encabeçada pelo então candidato Israel Paulain (PMDB), segundo colocado no pleito, ingressou com Representação contra o prefeito alegando utilização de caixa dois, na campanha de 2012, uma vez que os valores de bens e serviços utilizados por ele na disputa do pleito teriam ultrapassado os limites de gastos declarados à Justiça a Eleitoral.

O processo esta concluso para julgamento. “Na sexta-feira passada, fiz um despacho ao Cartório Eleitoral para saber se todas as diligências foram cumpridas. Esta semana, estou em Itapiranga, onde também respondo pela Comarca, mas até a sexta-feira ou no máximo até segunda deverei proferir a sentença sobre o caso”, afirmou a magistrada.

A Coligação Todos Unidos Por Nhamundá alega que ao declarar ter gasto para se eleger o valor equivalente a R$ 56.325 mil, Nenê Machado, estaria violando o artigo 30-A da Lei 9504/97, com a prática de vários ilícitos eleitorais. A representação cita que o prefeito utilizou barcos, caminhões, carros e um número excessivo de cabos eleitorais nas ruas com camisas e bonés “ desproporcional para uma campanha do interior”.

(Ascom)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.