Preço dos combustíveis e enchente devem encarecer a produtos rurais no Amazonas

Produtores de melancias, adiantam as colheitas
Produtores de melancias, adiantam as colheitas
Produtores de melancias, adiantam as colheitas

Amazonas – A situação no Amazonas é delicada com a subida das águas e os aumentos nos preços dos combustíveis, devem provocar aumentos nos produtos rurais, segundo previsão da Federação da Agricultura do Amazonas.

A subida da cotação dólar e o aumento no valor dos combustíveis deve influenciar os preços de mercadorias produzidas em todo o Brasil. No Amazonas, além das questões econômicas, um fator natural também preocupa produtores rurais: a cheia dos rios amazônicos.

A soma desses fatores deve interferir nos preços repassados ao consumidor e poderá causar queda no número de empregos. O alerta é feito pela Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea).

Para o presidente da Faea, Muni Loureiro, o transporte dos produtos agropecuários até os centros comerciais na capital e interior deve ficar mais caro.

\O rio invade os bananais
\O rio invade os bananais

O valor deverá ser repassado aos consumidores. “Os combustíveis compõem os custos de produção na atividade rural, tanto no âmbito interno da propriedade rural, como no transporte e logística para o escoamento da produção até o mercado consumidor.

Assim sendo, o aumento nos combustíveis repercute significativamente no preço final dos produtos, ainda mais em um Estado de dimensões continentais como o Amazonas, caracterizado por grandes distâncias entre os municípios e a capital, que é o maior mercado consumidor”..

Segundo Muni, além da alta de preços dos produtos, poderá ocorrer a queda no número de empregos gerados pelos produtores no estado. “Neste cenário de instabilidade e incerteza econômica que estamos vivenciando, naturalmente os produtores e empresários rurais retraem seus projetos de investimentos e isso representa diminuição de oferta de emprego e renda”, avalia.

Produtos mais caros

A diferença nos preços de produtos agrícolas cultivados no Amazonas deverá ser sentida pelos consumidores apenas nos próximos meses. “O setor primário apresenta como uma de suas características fundamentais a sazonalidade na oferta dos produtos agrícolas, ou seja, temos períodos de safra e entressafra para as

O gado sofre com a cheia
O gado sofre com a cheia

diversas culturas agrícolas, e o aumento dos preços desses produtos poderá ser mais percebido nos períodos de entressafra, meses onde há menor oferta de determinados alimentos.

Além do mais, quando estamos na entressafra da produção local, temos um aumento da importação de outras regiões do país, o que ocasiona preços mais altos, pelos custos ainda maiores de transporte”, afirma o presidente da Faea.

Amazonianarede-FAEA

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.