Ponta Negra vira palco para ação de proteção às crianças vítimas de violência

19-10arthurA Prefeitura de Manaus realizou neste sábado, 18, uma grande mobilização social em prol da conscientização sobre a responsabilidade no combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Crianças, adultos e pessoas de todas as idades compareceram ao Complexo Turístico Ponta Negra, na zona Oeste, para participar do grito de alerta “Criança brinca, mas não é Brinquedo”.

A iniciativa foi uma parceria entre a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) e mais de 30 instituições pertencentes à Rede Evangélica de Ação Social (Renas). Segundo dados da Delegacia Especializada de Proteção da Criança e do Adolescente (Depca), em 2013, foram registrados 1.277 casos de crianças vítimas de abuso sexual. Este ano, de janeiro a setembro, já somam mais de 700 ocorrências.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, chamou a atenção para que os pais e responsáveis estejam atentos e não se calem diante das situações de violência doméstica ou sexual das crianças e adolescentes. “O perigo muitas vezes está mais perto do que imaginamos. São vizinhos, parentes, padrastos, pessoas que fazem parte do convívio da família. No caso de Coari, as mães, acometidas pela miséria, acabaram se tornando as vilãs e negociando suas filhas em troca de dinheiro. É preciso ficar de olhos sempre abertos e não se calar. A qualquer sinal de violência é preciso denunciar e proteger nossas crianças e adolescentes”, destacou.

Segundo a secretária da Semasdh, Goreth Garcia Ribeiro, para combater essa triste estatística e aumentar o número de denúncias, a prefeitura montou uma equipe de trabalho que atua em todos os grandes eventos da cidade para sensibilizar a população. “Durante a Copa do Mundo, por exemplo, criamos o Comitê Pró-Copa que nos colocou entre as três cidades que mais receberam ligações relacionadas ao Disque 100. Isso não, necessariamente, significa que o número de casos de abuso às crianças e adolescentes aumentou, mas que mais pessoas estão denunciando”, disse.

Ainda segundo Goreth Garcia, somente nos Centros de Referência Especializada em Assistência Social (Creas) foram realizados 219 atendimentos de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual e mais 25 casos de exploração sexual, além de 100 atendimentos por violência física ou psicológica e 79 por negligência ou abandono.

Atualmente, a Rede Evangélica de Ação Social (Renas) está presente em mais de 15 estados desenvolvendo ações de resgate social. “É muito bom ver a cidade de Manaus envolvida com esse tema, que há algum tempo tem sido debatido pela nossa rede. Essa é a primeira vez no país que se traz para dentro da igreja evangélica uma pauta dessa natureza. Fizemos isso durante Copa e decidimos estender em todas as nossas ações”, afirmou o coordenador nacional da Renas, Welinton Pereira.

Abordagem lúdica

Diversas atrações lúdicas foram organizadas durante o evento para despertar a atenção da população. Entre elas, a porquinha Peppa Pig e a Cia de Arte Metamorfose, com personagens infantis trazidos pelo Parque Cidade da Criança, além da apresentação da banda Base 3 e da Companhia de Arte Cristã. Folders, ventarolas e outros materiais informativos, com todos os endereços e telefones da rede de proteção de crianças e adolescentes, foram distribuídos para que a população possa denunciar.

Até quem estava mais preocupada em se divertir vestiu a camisa e já aprendeu a lição, como a jovem Ritalice Soares, de 10 aos. “Todo mundo tem direito à vida, não importa a idade, e precisa ser respeitado”, disse sem medo de errar. Ela, que faz planos para ser uma bailarina profissional, defendeu ainda que lugar de criança é na escola e não sendo vítima do trabalho infantil.

Reportagem: Alita Falcão / Foto: Alex Pazuello

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.