Pesquisas da UEA são publicadas em livros que destacam o ensino da Biologia e Matemática

(Foto: Divulgação)

O Mestrado em Educação em Ensino de Ciências lança duas publicações por meio da Editora Appris, como estímulo ao ensino da Biologia e Matemática.

Os livros são resultado das dissertações de mestrado profissionalizante e acadêmico, desenvolvidas na Universidade do Estado do Amazonas (UEA), pelas pesquisadoras Yone Gama da Costa e Dayse Peixoto Maia, sob a orientação da professora Ierecê dos Santos Barbosa.

Segundo a orientadora das pesquisas, Ierecê Barbosa, a publicação partiu de convite da própria editora. “Fui convidada pela editora para publicar os livros de minha autoria, e então, indiquei as duas pesquisas. Em seguida, houve a fase de revisão e escolha de capa. O pré-lançamento dos livros aconteceu no Congresso Nacional de Educação (Educere), ocorrido em Curitiba. O lançamento oficial aconteceu na 36ª reunião da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), realizada em Goiânia, no Campus II, da UFG, no período de 29 de setembro a 02 de outubro.

Aguardamos apenas o envio dos exemplares pela editora para lançarmos em Manaus, mas os livros já estão disponíveis para venda em todo o país, podendo ser adquirido pela Internet, no site da editora”, afirmou.

As publicações intituladas “Ensino das Terminologias Biológicas através da Aprendizagem Significativa e a “Matemática e Interdisciplinaridade: Possibilidades e Desafios” são de autoria de Dayse Peixoto Maia e Yone Gama da Costa, respectivamente. Segundo Dayse, o livro que resultou da pesquisa desenvolvida no período de 2007 a 2009, trata da experiência em escolas públicas e particulares na facilidade em compreensão dos termos da Biologia.

“Foi a ideia de juntar o útil ao agradável, utilizando a Teoria da Aprendizagem Significativa. O que me motivou a fazer a pesquisa foi a dificuldade dos alunos das últimas séries do Ensino Fundamental e das séries do Ensino Médio. Fiz pesquisa em campo e em escolas públicas e particulares, aplicando questionários junto aos professores. Também elaboramos duas oficinas para cerca de 35 professores sobre a pesquisa, onde eles puderam dar suas contribuições”, disse.

Já na linha da Matemática e Interdisciplinaridade, a pesquisadora Yone Gama da Costa conta que o livro que partiu da pesquisa de sua autoria, elaborada no período de 2011 a 2013, é uma proposta para aplicação da interdisciplinaridade, com o objetivo de capacitar e contribuir para a melhor formação de professores. “Como professora tanto da Educação Básica como Ensino Médio, via que os alunos falavam que tinham dificuldades no aprendizado enquanto, na verdade, eles não tinham aprendido, e acabavam colocando a culpa no professor”, disse.

Desenvolvimento das pesquisas-Segundo Dayse, a pesquisa se deu com ênfase na aplicação da teoria da Aprendizagem Significativa com o objetivo de ajudar na busca do significado das informações para os alunos. “A pesquisa propõe procurar dentro do que o aluno já sabe, alguma informação que possa servir de âncora para tentar significar um assunto, criar um significado para uma nova informação, com a finalidade de ampliar a estrutura cognitiva. O objetivo é fazer com que o aluno compreenda o significado e não somente o termo científico”, disse.

Enquanto na pesquisa de Yone, a interdisciplinaridade também está relacionada ao fato de facilitar o aprendizado pelos alunos, a fim de que eles percebam e compreendam a Matemática. “A pesquisa foi desenvolvida no Projeto Observatório da Educação (POE) e durante essa experiência pude constatar que a interdisciplinaridade e a relação da Matemática com as mais diversas áreas contribui para a melhoria do ensino. É necessário conseguir atingir as licenciaturas de Matemática e Pedagogia e trabalhar a interdisciplinaridade com essa área, para que o professor, mais que entender, possa perceber como o aluno está aprendendo”, afirmou.

Projetos e financiamentos – As duas pesquisas obtiveram financiamento público. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) foi a entidade financiadora da pesquisa de Dayse Maia, enquanto que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) financiou a pesquisa de Yone Costa. Ambas destacam o apoio e o incentivo tanto das financiadoras, quanto da UEA para a execução dos projetos.

“O mestrado abriu minha mente e oportunidades dentro do POE. Quero agradecer também tanto a professora Ierecê como ao coordenador do projeto, professor Amarildo Menezes. O aprendizado tem sido maravilhoso”, disse Yone. “Agradeço a UEA que nos acolheu nesse programa de Mestrado na época profissionalizante e agora acadêmico. Os desafios existem, mas é preciso ter interesse de correr atrás apesar das dificuldades”, completou Dayse.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.