Pesca ilegal do boto para isca ameaça a espécie na Amazônia

(Amazonianarede – Ampa)

Os boto amazônico, tucuxi e vermelho, que inclusive e são as maiores atrações turisticas no município de Novo Airão, estão sendo caçados indiscriminadamente por pescadores, para servirem de isca para a pesca de bagres nos rios da região e o fato preocupado institutições como o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Associação Amigos do Peixe-Boi e ambientalistas de um modo geral.

Esses dóceis mamíferos aquaticos, primos próximo dos acrobatico golfinho, devido a essa caça indiscriminada corre um sério risco na Amazônia, por isso as instituições e ambientalistas começam a montar estratégias para evitar essa “corrida aos botos” e dessa forma preservar a espécie.

Segundo os pesquisadores, o boto da Amazônia não tem predador natural, sendo o homem o maior predador do mamífero, que sofre com a captura acidental, a poluição dos rios e a caça criminosa.

REDUÇÃO DETECTADA

Pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) detectaram redução da população de botos-vermelhos, conhecidos popularmente como botos cor-de-rosa.

O índice chega a 10%, por ano, em áreas específicas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Mamirauá.

A diminuição dos número de animais foi encontrada na área de atuação do Inpa dentro da reserva, que corresponde a 12% de local que tem 1,1 milhão de hectares.

A informação consta no Dossiê Vermelho, um documento produzido pela Associação Amigos do Peixe-Boi (Ampa) , onde mostra a atual realdiade em que se encontrarm os botos, a ameaça de extinção e a alta taxa de mortaldiade em função da pesca criminosa da espécie, que tem como único predador os pescadores.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.