Peixe, caça e quelônios apreendidos pela quarta vez em na Feira da Liberdade

Amazonianarede – Voz de Manacapuru

Manacapuru – A polícia ambiental voltou a fazer apreensões de pescado, quelônios e caça na Feira da Liberdade, em Manacapuru, no último final de semana.

A fiscalização se deve tanto à reincidência dos feirantes, quanto ao período do Defeso, quando o pescado tem regulamentação especial em busca da preservação de espécies ameaçadas. Foram apreendidos 389 quilos de peixe fora do tamanho.

É a quarta vez que a polícia ambiental apreende alimento ilegal vendido na Feira da Liberdade
A equipe do Batalhão Ambiental que foi à Feira da Liberdade, sob o comando do sargento Natanael Freitas, integra a Operação Fechadura, do comando geral da PM.

Foram encontradas bancas abandonadas e, após a revista, foram apreendidos 215 kg de pirarucu fresco, 174 kg de peixes diversos, 14 patos do mato e três tracajás.

O pato do mato, como é animal silvestre, não pode ser doado, por não se saber a procedência ou se estava doente ou não. O pescado será doado para entidades filantrópicas e ao hospital. Os quelônios serão soltos no habitat natural.

Ninguém foi identificado porque as bancas não têm identificação e os outros feirantes não revelam os nomes dos proprietários. A apreensão foi registrada na primeira Delegacia Interativa de Manacapuru. A Polícia Civil está incumbida de investigar e encontrar os proprietários das bancas.

Essa é a quarta apreensão expressiva desse tipo ocorrida em Manacapuru. A Operação Defeso vai continuar até o dia 31 de março, domingo, quando encerra o período de proteção a espécies de pescado ameaçadas de extinção.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.