Patrimônio ameaçado: Igreja do Carmo pode desabar em Belém

A Justiça Federal determinou na segunda-feira (22), que o proprietário de um imóvel localizado no centro histórico de Belém tome medidas urgentes para evitar o desabamento da estrutura do prédio.

A ruína da estrutura pode comprometer o Conjunto Nossa Senhora do Carmo, que compreende a Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo, Capela da Ordem Terceira e Palácio Velho, tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A decisão, do juiz federal Rafael Lima da Costa, é resultado de ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF). A ação foi ajuizada em abril deste ano pelo procurador da República Bruno Araújo Soares Valente.

O imóvel que deve ser estabilizado fica na rua Major Joaquim Távora, nº 115/119 , na Cidade Velha.
A decisão liminar, urgente,levou em consideração os relatórios e fotografias produzidos a partir de diversas vistorias realizadas pelo Iphan entre os anos de 2009 e 2013. Segundo a decisão, relatórios afirmam que os serviços já realizados para a estabilização do imóvel não são suficientes para evitar a continuidade da degradação da estrutura.

“Vale frisar que a possibilidade de arruinamento da estrutura é um risco não apenas para a eficácia da decisão final, como também para estrutura de imóveis vizinhos e para a vida e integridade física dos moradores destes e das pessoas que trafegam pela via pública”, afirma o juiz na decisão. Foi determinado o início imediato das obras emergenciais e a comprovação das providências pela proprietária no prazo de dez dias, sob pena de multa diária.

(Diário do Pará) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.