Papa pode ter agenda alterada por causa de protestos

As manifestações nas ruas do país e, principalmente, do Rio levaram os responsáveis pela segurança da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) a discutir mudanças na agenda do papa Francisco.

O pontífice chega ao Rio no dia 22 de julho. A Folha apurou que o tema foi debatido em duas reuniões nesta semana na cidade.

Uma delas envolveu todo o pessoal da área de inteligência dos governos estadual e federal, além das Forças Armadas. Todos temem que o momento possa ser aproveitado por algum grupo para um ato contra o papa.

No Rio, os órgãos de inteligência detectaram que grupos radicais e traficantes se infiltrariam entre os manifestantes para criar pânico.

Além da preocupação dos responsáveis em evitar que isso aconteça, o receio ainda maior é que, caso haja algum problema, o papa fique em uma situação de risco.

A discussão principal foi se vale a pena manter a agenda diante dos atos ocorridos na Copa das Confederações. O consenso foi que sim, pelo pouco tempo para qualquer mudança até o dia 22, mas serão necessários ajustes.

O principal deles é na visita do papa à favela de Varginha, em Manguinhos, zona norte da cidade. A ideia é reduzir o tempo de permanência de Francisco no local e restringir sua caminhada.

A ida do pontífice ao Theatro Municipal para um encontro com políticos, empresários, artistas e representantes de outras religiões marcada para o sábado, dia 27, também está em discussão.

O encontro está previsto para depois de uma missa na catedral metropolitana, a cerca de 650 m do teatro. O trajeto seria feito de carro, mas os responsáveis pela segurança querem evitar que o papa faça percursos desse tipo.

As Forças Armadas informaram que o planejamento está mantido, mas, segundo o coronel Alberto Corrêa, da 1ª Divisão do Exército, serão feitos “pequenos ajustes”.

Um desses ajustes é a designação de um general para cuidar do palco onde ficará o papa em Guaratiba, na zona oeste do Rio. No palco, o papa ficará isolado. Nessa área restrita, militares de terno acompanharão o pontífice.

Em meio a essas discussões, chegam ao Rio hoje a cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora. Até o dia 22, os dois símbolos da jornada passarão por 131 pontos do município, incluindo Pão de Açúcar e Cristo Redentor.

(Por Folha de São Paulo) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.