Os amazonenses pagaram em 2015, mais de R$ 6 bi de impostos

 

Em 2015, amazonenses pagaram mais de R$ 6 bi, em impostos
Em 2015, amazonenses pagaram mais de R$ 6 bi, em impostos

Amazonas – O amazonense pagou mais de R$ 6 bilhões em impostos ao longo de 2015. Com o período de recessão em decorrência da crise econômica no Brasil, o valor é cerca de 30% menor que o arrecadado durante o mesmo período de 2014. O G1 entrevistou um economista para analisar o valor e apontar perspectivas para 2016.

 

Do dia 1º de janeiro até a última hora do dia 31 de dezembro, um total de R$ 6.161.360.204,11 foi pago em impostos no estado. Em Manaus, a arrecadação foi superior a R$ 2,7 bilhões.

Em comparação com outros estados da região Norte, o Amazonas é o segundo estado que mais arrecada impostos, com cerca de R$ 616,8 mil por hora. O estado fica atrás apenas do Pará, que arrecadou mais de R$ 9,2 bilhões no ano passado.

Segundo as simulações da ferramenta de medição do impostômetro, o montante arrecadado no Amazonas poderia ser usado para contratar mais de 382.693 policiais ou 461.871 professores de ensino fundamental por ano, construir mais de 5.358 km asfaltado de estradas ou ainda pagar a conta de luz de todos os brasileiros por cerca de 34 anos.

A margem de erro de 30% em relação a 2014, quando o estado ultrapassou R$ 8,7 bilhões em arrecadação, é reflexo, entre outras coisas, da diminuição do poder de compra dos amazonenses, conforme explica o economista José Alberto Machado.

“Isso ocorre devido à diminuição da atividade econômica. Os principais consumidores dos produtos da Zona Franca de Manaus é a economia doméstica e o mercado nacional está em crise. Isso significa que estamos com uma queda do PIB, que tivemos uma redução na renda dos trabalhadores e na renda geral das famílias”, explicou Machado.

Segundo ele, o reajuste da inflação, o cuidado de lojistas evitar a estocagem de mercadorias e a diminuição das venda de bens de consumos duráveis podem ter influenciado na quantia arrecadada ao longo do ano.

“O Amazonas tem outros processos internos que contribuíram para a menor arrecadação. Tem a situação da ZFM, que passou um tempo sem um gestor, o que gerava uma incerteza para os investidores. O aumento demasiado do dólar, que inibiu a importação de insumos, também teve reflexos nisso”, completou o economista.

Os dados sobre arrecadação podem ser encontrados no site Impostômetro, criado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) em parceria com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Conforme a plataforma, o brasileiro trabalhou até o dia 31 de maio apenas para pagar impostos.

Amazonianarede-AmazoniaTV

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.