Omissão de deputados só amplia diferenças no Pará

28-12paraBelém, PA – Várias regiões do Estado acabaram contempladas com poucos recursos, o que deve dificuktar a vida das pessoas e aumentar as diferenças sociais.

Entre o compromisso de defender os interesses de suas regiões e a lealdade política ao governador reeleito, boa parte dos deputados do sul, oeste e Marajó ficaram com a segunda opção e ajudaram a encorpar o rolo compressor que permitiu a aprovação do orçamento para o ano que vem com recursos pífios para suas regiões – e quase todos o dinheiro concentrado na Região Metropolitana de Belém, área onde coincidentemente Simão Jatene teve os votos que lhe garantiram a reeleição em outubro deste ano.

DESIGUAL E INJUSTO

A votação do orçamento no final desta legislatura foi simbólica – aquela em que os deputados não precisam declarar o voto nominalmente. Justamente por isso, chamou a atenção o completo silêncio dos deputados que dizem atuar nas regiões punidas com a baixa previsão orçamentária.

As exceções foram as bancadas do PT e PMDB. O PT decidiu se abster da votação. “Essa abstenção foi uma forma de protesto, porque não podíamos aprovar um orçamento com tantos problemas”, diz o deputado petista Airton Faleiro.

O PMDB votou pela não aprovação do orçamento. O voto foi justificado em plenário pelo líder da bancada Parsifal Pontes. “Há uma total desproporcionalidade entre as regiões. A Região Metropolitana concentra 71% e os outros 29% são distribuídos pelas demais. É muito injusto”, afirma Pontes.

(Diário do Pará)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.