O que aconteceu na sexta-feira 13 em Paris ?

Atentado terrorista em Paris, provocou mortes e deixou a cidade assustada e com medo
Ataque terrorista abalou Paris
Ataque terrorista abalou Paris

Paris, França – A série de ataques que aconteceu em Paris e nos arredores da capital francesa na noite de sexta-feira (13) tem muitas perguntas ainda sem respostas, mas alguns fatos já são conhecidos. Veja o que se sabe até o momento sobre a tragédia. 

O que aconteceu em Paris?

Uma série de ataques coordenados, com explosões e tiroteios, aconteceu na noite de sexta-feira em ao menos seis diferentes locais de Paris e nas proximidades do estádio nacional, Stade de France, nos arredores da cidade. O atentado mais grave ocorreu na casa de shows Bataclan, onde cerca de 1.500 pessoas assistiam a um show de rock.

Houve ataques a tiros a clientes de restaurantes e bares nos distritos de número 10 e 11 da capital francesa. Foram registradas duas explosões no estádio nacional durante o amistoso entre França e Alemanha; o presidente francês, François Hollande, estava no estádio.

Quem é o responsável pelos ataques?

O presidente francês, François Hollande, afirmou na manhã deste sábado (14) que o grupo radical Estado Islâmico é o culpado pelo “ato de guerra” que matou mais de 129 pessoas em Paris na noite de sexta-feira. Segundo Hollande, este foi um ataque organizado no exterior com ajuda “de dentro da França”.

Também neste sábado, momentos depois, o Estado Islâmico assumiu a autoria dos atentados em série. No comunicado, o grupo jihadista diz que a França é o “principal alvo” do grupo. A nota afirma que a localização dos ataques foi cuidadosamente estudada.

A polícia francesa identificou, por impressões digitais, um extremista francês como um dos autores do atentado ao Bataclan, segundo a imprensa local. O homem de 29 anos já tinha sido fichado pela polícia, mas nunca foi preso. Os outros terroristas ainda não foram identificados.

Junto aos corpos de dois homens-bomba do Stade de France, foram encontrados um passaporte sírio e outro egípcio, cuja procedência está sob investigação. O detentor do passaporte da Síria passou pela Grécia, onde foi registrado como refugiado, afirmou o governo daquele país, que ainda não pôde revelar seu nome e nacionalidade. As informações são da imprensa francesa e das agências internacionais.

Quantas pessoas foram mortas?

O número pode subir, mas a procuradoria de Paris confirmou oficialmente na noite de sábado (horário local) 129 mortos e 352 feridos, sendo 99 em situação crítica de saúde. Hospitais em Paris davam atendimento psicológico a testemunhas e parentes de vítimas. Ao menos 53 pessoas socorridas tiveram alta.

Autoridades francesas afirmaram que sete terroristas morreram, mas não descartaram a possibilidade de mais gente envolvida.

4 Quantos brasileiros ficaram feridos? 

Nos ataues, segundo o Consulado d0 Brasil na França, três brasileiros foram atingidos,m mas sem risco de vida para nenhum.Não havia risco à vida de nenhum dos três.

Atentado terrorista em Paris, provocou mortes e deixou a cidade assustada e com medo
Atentado terrorista em Paris, provocou mortes e deixou a cidade assustada e com medo

Os brasileiros estavam no restaurante Le Petit Cambodge, nas proximidades do Canal Saint-Martin, no 10° distrito da capital, que foi atacado ao mesmo tempo que o bar Le Carillon, bem próximo, onde 15 pessoas morreram.

Um dos brasileiros feridos, arquiteto de 29 anos, foi baleado três vezes e passou por cirurgia. Os outros dois brasileiros são uma estudante residente na cidade, de 29 anos, e um arquiteto de 28 anos.

O Itamaraty informou que só divulgaria detalhes sobre o estado de saúde e a identidade dos brasileiros feridos caso as famílias autorizassem.

Como foi o ataque à casa de espetáculos Bataclan?

O show da banda norte-americana Eagles of Death Metal era realizado no Bataclan, em Paris, quando homens armados com fuzis AK-47 invadiram o lugar atirando para todos os lados, segundo testemunhas. Cerca de uma centena de pessoas foram mantidas reféns por cerca de duas horas. A polícia invadiu a casa pouco depois da meia-noite. Segundo informações da procuradoria de Paris, dois homens acionaram seus cintos com explosivos e um terceiro terrorista foi morto pela polícia no local. Somente no Bataclan morreram 89 vítimas.

Como foi o ataque ao Stade de France?

O jogo amistoso de futebol entre as seleções da França e da Alemanha estava em andamento quando ocorreram duas explosões perto dos portões, com diferença de um pequeno espaço de tempo da primeira para a segunda, às 21h20. O presidente François Hollande acompanhava a partida no local e foi retirado às pressas para o prédio do Ministério do Interior. Dois homens-bomba e um pedestre morreram.

O que houve nos outros alvos dos terroristas?

Foram registrados ataques com armas de fogo em, ao menos, quatro ruas de Paris, nos distritos de número 10 e 11. Os tiroteios miraram bares e restaurantes com mesas nas calçadas, com grande movimento de clientes. Testemunhas relataram que os atiradores chegaram em carros pretos, fuzilando vítimas nas ruas.

Quais medidas de segurança foram tomadas após os ataques?

As fronteiras da França foram fechadas, e o presidente decretou estado de emergência em todo o território francês. As forças militares foram convocadas para reforçar a segurança da região de Paris. Além disso, a polícia de Paris pedia aos moradores da capital que não saíssem de casa e fechou as linhas de metrô.

Outros ataques recentemente?

Ataque a Paris, deixa Franca em estado de alerta contra o terrorismo
Ataque a Paris, deixa Franca em estado de alerta contra o terrorismo

Em janeiro de 2015, foram cometidos atentados contra a revista satírica “Charlie Hebdo” e um mercado kosher, ambos na capital francesa, e uma policial foi baleada na região sul parisiense, em ações ocorridas entre os dias 7 e 9 de janeiro, com 17 mortos (12 na revista, quatro no mercado e a policial).

Outros incidentes

Em abril, um estudante argelino foi preso em Paris com armas de guerra. Ele confessou ter planejado ações terroristas, especialmente contra um trem, com o objetivo de “matar 150 infiéis”. Em junho, nas proximidades de Lyon, um homem matou e decapitou o patrão e exibiu bandeiras islâmicas no local do crime.

Em agosto, militares norte-americanos conseguiram evitar que um homem armado fizesse um ataque a um trem que ligava Amsterdã (Holanda) a Paris.(Com agências internacionais e BBC Brasil)

mazoninarede-Agencias internacionais

 

 

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.