O PT de Lula já tem seu candidato. É Dilma

Amazonianarede – Ag. Nacionais

S. Paulo – Depois de classificar como “especulação” a possibilidade de Luiz Inácio Lula da Silva voltar a ser candidato a presidente da República, em 2014, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, confirmou que “a nossa candidata chama-se Dilma Rousseff”. “Vamos trabalhar por sua reeleição, para que a gente continue fazendo esse governo extraordinário, que tem dificuldades, mas pode fazer muita coisa pelo Brasil”, explicou.

Especulação

Paulo Okamoto destacou que qualquer discussão sobre a sucessão presidencial em 2013, “antes do Carnaval”, é “mera especulação e não contribui, em nada, para a gente entender o que está acontecendo com o País”.

As declarações de Okamoto foram reforçadas pelo diretor do Instituto Lula, Paulo Vannuchi, ex-ministro da Secretaria de Diretos Humanos no governo Lula. Depois de negar qualquer intenção de Lula candidato a presidente, Vannuchi assegurou que nas eleições gerais de 2014, na disputa federal, o ex-presidente “vai gastar toda a energia para a manutenção da aliança entre o PT, o PMDB e o PSB”, assegurou, ao avaliar que a aliança teria sofrido “arranhões” pelas tensões provocadas pelas eleições municipais.

Além de 2014

O ex-ministro descartou, até, a possibilidade de Lula vir a disputar as eleições de 2018. Vannuchi garantiu que ouviu do ex-presidente que ele não pretende disputar a última eleição da década e que não se opõe a uma candidatura de aliados do PT. Em sua avaliação, Vannuchi disse que Lula poderia ser candidato só em caso de uma “crise institucional”, o que na sua interpretação está fora de qualquer cogitação.

Entrosamento

O ex-ministro refutou também que haja uma crise entre Lula e a presidente Dilma. “Eu nunca vi um nível de entrosamento como o deles”, afirmou Vannuchi, que também participou, ontem, de encontro com intelectuais da América Latina, promovido pelo Instituto Lula, em São Paulo (leia mais na pág. 6). Ele aproveitou ainda para provocar o PSDB ao dizer que o pré-candidato, o senador Aécio Neves (MG), “não é candidato para valer” no ano que vem. “Toda a construção da candidatura agora é para ele virar figura de proa, disputar para perder e contar com recall em 2018”, afirmou.

Vannuchi contou também que Lula proibiu que seus assessores próximos falassem sobre a candidatura dele ao governo do Estado de São Paulo. Sobre a entrevista do marqueteiro João Santana, que levantou essa possibilidade, o ex-ministro disse que já teve uma conversa com o publicitário sobre o assunto.

Caravana

Ele confirmou que Lula está para iniciar uma série de viagens pelo Brasil, mas assim como outros assessores do ex-presidente, negou que elas serão uma reedição da Caravana da Cidadania. Segundo Vannuchi, a proposta é a de se reunir com segmentos e grupos sociais, como trabalhadores rurais, para tratar de questões pontuais.

Papo furado

O prefeito de São Bernardo do Campo, o petista Luiz Marinho, chamou de “papo furado” a provável candidatura de Lula para 2014. Ele garantiu que o assunto “nem está colocado” na agenda do partido. Marinho chegou a ser incisivo. “Isso não é nem especulação, isso é papo furado de quem não tem o que fazer.”

Marinho disse que o PT está focado na reeleição de Dilma. “Estamos trabalhando no processo de alianças para ter uma chapa forte para reeleger a presidente Dilma.”

Já o ex-presidente Lula, ao ser questionado sobre sua possível candidatura, desconversou: “Hoje não discuto política”.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.