Nova maternidade Balbina Mestrinho é entregue à população

O governador do Amazonas, Omar Aziz, inaugurou na tarde desta sexta-feira, 2 de agosto, as novas instalações da maternidade Balbina Mestrinho, no bairro da Praça 14, zona sul da cidade. A unidade, que já é referência nacional na política de humanização e acolhimento e, no Estado, em parto de alto risco, modernizou seus espaços e ampliou a oferta de leitos na área de cuidados intermediários neonatais.

A maternidade passa a oferecer seus serviços num ambiente muito mais acolhedor, melhor equipado e todo projetado para fortalecer ainda mais as boas práticas que devem nortear o atendimento às gestantes e aos recém-nascidos.

As novas instalações da maternidade foram erguidas ao lado do prédio antigo, que continua abrigando a área administrativa, serviços de apoio diagnóstico, a UTI Materna e a área de Neonatologia. “É uma obra importante que vai nos ajudar a reduzir ainda mais a mortalidade infantil, que tem caído ano a ano. A gente tem uma política para expandir esse modelo ao interior do Estado, fazendo com que esse acolhimento na entrada e, principalmente, no parto, ofereça mais qualidade no atendimento à mãe e à criança”, disse o governador.

Omar Aziz afirmou, ainda, que já tem em mãos o projeto da segunda etapa da maternidade. Será feito uma nova estrutura para os serviços que continuam no prédio antigo da maternidade. A proposta é optar por um pavimento verticalizado, o que permitirá ampliar a área de estacionamento.

A solenidade contou com a presença do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, da primeira-dama, Nejmi Aziz, e do vice-governador José Melo,além do secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, entre outras autoridades. “É uma maternidade que vai acolher muito bem as pessoas que vão ter seus filhos com muito mais dignidade e conforto. Esse é o papel da gestão Omar Aziz, que está fazendo um trabalho de participação na vida das famílias amazonenses”, observou a primeira-dama.

Construída em parceria com o Governo Federal, a unidade é resultado de investimentos que somam R$ 15 milhões, em obras e equipamentos, sendo R$ 8 milhões dos cofres estaduais e R$ 7 milhões do Ministério da Saúde. Segundo o governador, a nova Maternidade Balbina Mestrinho integra o importante programa de investimentos que vem sendo executado pelo Governo em todo o Estado, para reestruturar, ampliar e modernizar a rede de atendimento de saúde. Na capital, este programa inclui, por exemplo, o novo Hospital da Zona Norte, cujas obras já estão sendo iniciadas. No interior, sete hospitais estão sendo construídos.

Nova estrutura – De acordo com o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, as novas instalações da Maternidade Balbina Mestrinho permitiram dobrar o número de leitos da Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINco). “Estamos saindo de 10 leitos no antigo prédio (localizado no mesmo terreno da nova construção) para 20 leitos deste tipo, na nova unidade”, explicou Alecrim. Também foi possível reorganizar os 58 leitos de Alojamento Conjunto (mãe-bebê) que, no prédio antigo, ocupam um único andar da maternidade. Agora, estes leitos estão divididos em dois pavimentos, com quatro leitos por enfermaria, garantindo mais conforto e privacidade às pacientes.

Na área de pré-parto, o número de leitos passou de oito para dez, com uma novidade, que não era oferecida na estrutura antiga: os leitos são do tipo PPP, que permitem à grávida passar pelo processo de pré-parto, parto e pós-parto imediato, sem a necessidade de mudança de local, garantindo a presença de um acompanhante de sua escolha. Esse tipo de leito, destinado aos partos normais, é ajustável e permite, inclusive, que a mulher escolha a posição em que deseja dar à luz, para seu maior conforto. “Este é mais um avanço em termos de adequação às diretrizes da Rede Cegonha”, observa Alecrim.

O diretor da Maternidade Marco, Lourenço da Silva, disse que os serviços que estão sendo realizados na antiga maternidade serão transferidos para o prédio novo a partir de segunda-feira, dia 5. Os serviços de UTI e UCI serão os primeiros a ser transferidos, seguidos do Alojamento Conjunto e assim por diante.

História preservada e homenagens – Inaugurada em 1960, a Balbina Mestrinho é a maternidade mais antiga do Estado. O novo projeto arquitetônico contempla, ao mesmo tempo, a modernidade e as características originais preservando a parte histórica que compõe, há décadas, a entrada da tradicional maternidade – a parede de ladrilhos e a estátua de uma mulher grávida. Dona Maria Raimunda Escóssio, 79 anos, começou a trabalhar na maternidade em 1961 como parteira, na época em que os partos eram realizados por essas profissionais. “Dona Escóssia”, como é carinhosamente chamada, trabalhou na maternidade até 1998, quando aposentou-se. Segundo ela, ver a Balbina Mestrinho revitalizada é o melhor presente para quem trabalhou 37 anos ajudando a dar a luz a centenas de bebês.

Ela foi homenageada como a mais antiga servidora da maternidade ao lado de Dona Maria do Carmo Pereira, 76 anos, dos quais 32 anos dedicados à maternidade como assistente técnica. Também foram homenageados o ex-governador Gilberto Mestrinho (post mortem), filho de Dona Balbina Mestrinho, e o diretor da maternidade, Marco Lourenço Silva.

(Fonte: Agecom)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.