Nos primeiros três meses administração de Régis apresenta problemas pontuais

Manacapuru – Aos quase 100 dias da administração do prefeito Washington Régis, Manacapuru experimenta problemas com doenças como dengue, malária, desemprego e falta de remédios. Usuários do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) afirmam que até medicamentos controlados com validade vencida estão sendo distribuídos.

“Estamos sem atendimentos e nossas oficinas de terapia estão paralisadas. Antes podíamos passar o dia nas dependências da clínica e mesmo assim não faltava remédio. Hoje temos o mínimo e nosso atendimento está sendo feito só de desculpas dos diretores da instituição”, disse um dos pacientes, que pediu para não ser identificado.

O prefeito teria realizado 39 processos licitatórios com dispensa de licitação. Enquanto isso, as denúncias de garis desempregadas e de vigias que estão recebendo menos de um salário mínimo pipocam na cidade. Salários de janeiro, que ainda não foram pagos, e pessoal da limpeza pública que recebe por diária trabalhada também são alvo de denúncia.

Quando questionado sobre a dispensa de licitação para compra de caixões, o prefeito Régis foi curto e grosso. “Se eu não comprasse os caixões, ia ter que fazer licitação para comprar sal para salgar os defuntos que iam apodrecer todinhos”, teria dito. Após decreto de emergência, em janeiro deste ano os gastos teriam atingido a cifra de R$ 1 milhão.

O prefeito afirma que recebeu a cidade em péssimas condições, nas áreas de educação, saúde e infraestrutura.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.