Negócios com produtos amazônicos devem gerar US$ 1,5 milhão

A ideia do Centro Internacional de Negócios do Amazonas em realizar a Rodada de Negócios e inserir na iniciativa a visitação ao Festival de Parintins mobilizou a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos que apostou na oportunidade para incentivar a exportação de produtos regionais.

“Estimamos que a geração de US$ 1,5 milhão nos próximos 12 meses de produtos amazônicos apresentados pelos 25 empresários do Norte”, disse o analista de Gestão e Negócios da Apex-Brasil, Carlos Frederico Martins, durante o encontro dos empresários do Amazonas, Pará, Acre e Rondônia com seis compradores do Canadá, Guatemala, México e Portugal.

O gerente executivo do Centro Internacional de Negócios (CIN Amazonas), Marcelo Lima, explicou que o projeto Amazon Business segue a linha do Projeto Formula Indy e Projeto Carnaval, realizados em São Paulo e Rio de Janeiro, iniciativas coordenadas pela ApexBrasil, Confederação Nacional da Indústria (CNI),Federações das Indústrias e Rede CIN.

“É importante que o micro e pequeno empresário valorize a tipicidade dos produtos exóticos da Amazônia e dê início à internacionalização de seus negócios. Pretendemos perenizar o projeto Amazon Business na agenda da Apex, CNI e Rede CIN, dando visibilidade aos nossos produtos no exterior”, declarou Marcelo Lima.

Para o diretor industrial da Sohervas da Amazônia, José Cabral, o encontro com compradores internacionais é a chance que a empresa de licores de frutas tropicais esperava para iniciar contatos com clientes estrangeiros e começar a exportar sua produção, que atualmente atende apenas Manaus.

“Até o final do ano pretendemos triplicar nossa produção, com a fabricação de 60 litros de licores diários para atender o mercado local, formado por restaurantes e fabricantes de bombons, e também a demanda do consumidor europeu, americano e demais compradores do mundo”, disse Cabral.

Já para o gerente administrativo da R Bertulino, Rivaldo Araújo, a aceitação da Castanha do Brasil pelo grupo de compradores foi tão grande que a produção de 2013 da empresa será repensada para suprir as propostas de encaminhar amostras para avaliação de mercado aos potenciais clientes estrangeiros.

“Vislumbramos um retorno mensal em 2014 de US$ 110 mil, o que irá impulsionar nossa produção de 70 mil latas de castanha para 140 mil latas por ano”, revelou Araújo, ao destacar que a rodada de negócios superou suas expectativas em firmar contatos com compradores e retomar as exportações realizadas durante o ano de 2007.

Além de licores e castanhas, bebidas, alimentos e cosméticos também foram apresentados no encontro no Hotel Park Suites. O comprador Flávio Ferreira, da empresa BR4Trade, do Canadá, foi um dos mais interessados em negociações de polpas de frutas para atender a demanda voltada ao fornecimento do mercado canadense de frutas tropicais, dentre elas o açaí.

Segundo Ferreira, o negócio da BR4Trade é importar e distribuir alimentos e polpas de frutas congeladas, contribuindo com a divulgação dos produtos brasileiros no mercado internacional. “Os brasileiros ainda não perceberam o potencial dos nossos produtos e esse mercado internacional tende a crescer, por isso retorno ao Amazonas para participar desta rodada de negócio com objetivo de conhecer novos produtos, ouvir novas ideias e identificar oportunidades e ampliar os negócios da BR4Trade”.

A programação do Amazon Business Experience segue neste sábado, 29, com passeio de barco até o Encontro das Águas e encerrada com a visitação do grupo de compradores estrangeiros ao Festival de Parintins, para conhecer e participar do 2º dia de apresentação do Festival Folclórico dos Bois Garantido e Caprichoso.

(Fonte: Fieam)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.