MPF pede bloqueio de R$ 544 milhões em bens de empresas envolvidas na Lava Jato

MPF joga duro contra corruptos da Lava Jato
MPF joga duro contra corruptos da Lava Jato
MPF joga duro contra corruptos da Lava Jato

Brasilia – O Ministério Público Federal (MPF) anunciou hoje (14) o pedido de bloqueio de R$ 544 milhões em bens dos grupos Galvão Engenharia, Camargo Correa e Sanko Sider, além de seus diretores.

Os valores são referentes a propinas pagas no esquema de corrupção investigado na Operação Lava Jato envolvendo esses grupos e a Petrobras. Até agora foram quase R$ 700 milhões bloqueados em ações cíveis.

Apenas o grupo Galvão Engenharia e seus diretores tiveram R$ 302 milhões bloqueados. Os grupos Camargo Corrêa e Sanko Sider somam R$ 241 milhões bloqueados. Os réus das ações têm até 15 dias para apresentarem “bens livres e desimpedidos passíveis de constrição judicial”.

De acordo com o MPF, os grupos investigados movimentavam, apenas em propina, valores entre 1% e 3% do montante total de contratos bilionários. Os contratos eram assinados após licitações fraudulentas.

Hoje o MPF também apresentou denúncia contra 13 envolvidos no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. Dentre eles, quatro são ex-parlamentares que exerciam mandatos no Congresso durante o período de envolvimento com o esquema ilícito.

De acordo com o procurador da República, Deltan Dallagnol, novos nomes, entre eles políticos, estão sendo investigados e devem ser divulgados futuramente. “Novas acusações virão em relação a pessoas ainda não acusadas. Empresários, operadores financeiros e outros funcionários públicos serão acusados no futuro, além de outros agentes políticos”.

Amazonianarede-EBC

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.