MP pode pedir a prisão preventiva de Rose

Rose

Rose

Amazonianarede – Brasil247

Brasília – O Ministério Público pretende ir além das ações da PF no enquadramento da ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, por envolvimento no esquema de venda de pareceres técnicos para empresas privadas. Rose pode ter a prisão preventiva decretada a qualquer momento.

Tapa-buracos

O Ministério Público Federal deve denunciar a ex-chefe do escritório da Presidência da República em São Paulo Rosemary Nóvoa de Noronha por corrupção e também por formação de quadrilha, crime pelo qual a ex-assessora não foi indiciada pela Polícia Federal. Procuradores também avaliam a possibilidade de pedir a prisão preventiva de Rose, nomeada para o cargo pelo ex-presidente Lula, algo que a PF também não fez quando deflagrou a

Operação Porto Seguro

Delação premiada Solta logo após ter a prisão decretada na Operação Porto Seguro, a advogada Patrícia Maciel prestou longo depoimento em que forneceu detalhes sobre como atuava o grupo que favorecia empresas em órgãos do governo e agências reguladoras.

Escaninho

A PF concluiu nesta semana 11 novos relatórios que descrevem em detalhes a atuação do grupo investigado na Porto Seguro e as conversas e correspondências interceptadas. Rose é a única a merecer dois volumes da nova papelada.

Aberto

O segredo judicial da operação foi revogado ontem. Permanecem protegidos apenas os documentos referentes a sigilos bancário, telefônico e eletrônico.

Dedos

Antes de deflagrar a operação, sexta-feira passada, a PF hesitou em proceder busca e apreensão no escritório paulistano da Presidência. Só fez a diligência depois que funcionário do GSI foi designado para acompanhá-la.
Sobe

A Justiça Federal encaminhará hoje ofícios ao STF e ao STJ solicitando mais investigações sobre pelo menos quatro autoridades com prerrogativa de foro naqueles tribunais. Os pedidos estavam retidos para não prejudicar o inicio da operação.

Reincidente

José Weber Holanda é alvo de inquérito da Procuradoria da República no DF, aberto em 2010, sobre favorecimento a uma empresa de transportes de valores, em dívida com o INSS.

Alvo definido

O único mandado de busca feito no BB teve o objetivo de coletar documentos sobre a nomeação de José Cláudio de Noronha, ex-marido de Rose, para conselhos de administração de subsidiárias do banco.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.