Meninas do vôlei brasileiro vencem em Manaus a Rep. Dominicana

Meninas do vôlei brasileiro vencem em Manaus a Rep. Dominicana, na Arna Amadeu Teixeira

Manaus, AM – A torcida amazonense compareceu em massa e vibrou na Arena Amadeu Teixeira com a nova a Seleção Brasileira Feminina de Vôlei, comandada pelo técnico  Ze Roberto, que venceu por 3 a 1 com tranquilidade a seleção da República Dominicana.

A estreia da seleção feminina de vôlei em 2017 esteve longe de ser fácil. Com uma arena parcialmente lotada e um time com diversas caras novas, a equipe comandada por Zé Roberto chegou a sair atrás, mas levou três sets seguidos e venceu a República Dominicana por 3 a 1 (21/25, 25/20, 25/10 e 25/21), nesta terça, na Arena Amadeu Teixeira, em Manaus. O confronto durou quase duas horas, e os destaques brasileiros foram Drussyla, Tandara e Adenizia. Este foi o primeiro jogo do Brasil rumo a Tóquio 2020.

O próximo desafio do time canarinho é na quinta-feira, no ginásio Mangueirinho, em Belém, contra as mesmas adversárias. Os amistosos funcionam como preparação para o torneio Montreux, na Suiça, no mês de junho.

O jogo

O primeiro set começou equilibrado, mas Martinez fez a diferença em prol das dominicanas. Quando a seleção brasileira tentava abrir vantagem, a camisa 20 chamou a responsabilidade e colocou a bola na quadra oposta de tudo quanto é jeito. A situação ficou pior quando Zé Roberto Guimarães sacou Tandara para colocar a estreante Fernanda Tomé. Nesse momento, as caribenhas abriram dois pontos. Depois, Zé colocou de volta a ponteira, mas nada que mudasse o panorama em prol da seleção, que ficou seis pontos atrás no placar. No fim, com dois pontos consecutivos de Martinez, a República Dominicana fechou o primeiro set com 25 a 21.

No segundo set, o Brasil melhorou. Tomou logo a frente do marcador e, mesmo em noite ruim do bloqueio, que ficou devendo durante os dois sets iniciais, não permitiu que as adversárias encostassem. Em melhor momento, principalmente após evolução de Tandara, que passou a acertar mais a mão, o time canarinho chegou a abrir cinco pontos de vantagem na reta final.

Além das veteranas aparecerem para o jogo, o bloqueio, com Drussyla e Carol, enfim, virou arma favorável ao time. As dominicanas até ameaçaram reação e impediram dois sets points, mas Zé pediu novo tempo, e as brasileiras, com Fernanda Tomé fecharam o set com 25 a 20.

A seleção brasileira entrou com a mesma determinação no terceiro set, tanto que abriu o placar em linda largada de Drusylla. As dominicanas, no entanto, viraram o placar nos pontos seguintes.

Pontuação equilibrada

A partida seguiu com a pontuação equilibrada até o sexto ponto, quando Marco Kwink tirou a destaque Martinez de quadra. Ao mesmo tempo, o bloqueio e lances de fundo de quadra do Brasil começaram, aos poucos, a funcionar. Resultado? No 17º ponto, o Brasil vencia por 10 a 7. Quando o Brasil abriu cinco pontos, Kwink pediu tempo, mas com erro de saque da Valdez e bons saques de Tandara, o Brasil ampliou ainda mais a vantagem. Com dois pontos consecutivos de bloqueio e bola no fundo de Tandara, seleção fechou o 3 set com 25 a 19.

Com erro de Drussyla, República Dominicana abriu o marcador do quarto set. A própria Drussyla foi responsável pelo ponto da virada. Depois, em sequência de bons saques, o Brasil abriu dois pontos de vantagem. A seleção chegou a levar a virada, mas, com pedido de tempo do Zé, retomou a frente do placar.

No meio do set, já vencia por 14 a 11. No final do jogo, Zé ainda colocou Rosamaria pela primeira vez em quadra. A equipe administrou a diferença de pontos até o final e, com golpe fatal de Natália, fechou o quarto – e último – set por 25 a 21.

Amazonianarede-GE

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.