Mano descarta formação defensiva na volta: “Vai exigir algo diferente”

Técnico justifica Fla retrancado contra o Cruzeiro, aponta falhas, mas deixa BH satisfeito com gol marcado fora de casa.

Valeu pelo gol marcado na casa do adversário. Foi essa a avaliação de Mano Menezes sobre a derrota do Flamengo por 2 a 1 para o Cruzeiro, nesta quarta-feira, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. No Mineirão, em Belo Horizonte, o Rubro-Negro fez primeiro tempo muito ruim, foi dominado pelo adversário, mas conquistou um resultado que o mantém muito vivo na briga pela vaga na próxima fase da competição. No Maracanã, na quarta que vem, basta vencer por 1 a 0 para avançar.

Mano reconheceu que a formação com o zagueiro Samir na lateral esquerda não funcionou bem na primeira etapa.

Segundo ele, não por culpa do jovem, mas sim de toda a equipe, que deu espaços e falhou na marcação. Com a mesma formação, o técnico viu o Flamengo mais equilibrado no segundo tempo e aprovou do desempenho.

– O gol marcado fora nos coloca na disputa, leva para uma condição aberta no Maracanã. Mas não vamos esquecer que perdemos o jogo, temos que reverter essa condição lá.

Realmente na análise geral do jogo enfrentamos um Cruzeiro superior, que conseguiu ser uma equipe mais organizada, controlar mais o jogo durante boa parte. E no nosso entendimento encontrou um pouco de facilidades no primeiro tempo porque não estivemos bem posicionados. Estivemos indefinidos, com alguns jogadores no meio do caminho entre fazer uma coisa e fazer outra. E quando você enfrenta uma equipe como o Cruzeiro não pode ter indefinições. Esporadicamente chegamos na frente, uma ou duas vezes, acertamos uma bola na trave, mas não retratava o que era o jogo. Sofremos, voltamos melhores, corrigimos isso. Em função disso melhoramos, tivemos mais volume, chegamos na frente, sofremos o segundo gol, numa linda jogada do Everton, mas não posso reclamar da disposição dos meus jogadores.

Mano explicou que pretendia evitar um placar dilatado do adversário com a formação mais defensiva. Conseguiu. Não comemorou a derrota, mas sai de Belo Horizonte satisfeito com a possibilidade de decidir a classificação no Rio.

– A questão do futebol está menos na formação do que qualquer outra coisa. Qualquer formação pode ser boa e qualquer pode ser ruim. Não executamos bem o que queríamos fazer no primeiro tempo. Já voltamos melhor com a mesma formação no segundo tempo. Sabíamos que sofreríamos pelos lados, o Cruzeiro tem volume, trabalhou bem quando conseguiu chegar com a bola. No primeiro tempo, além das dificuldades de encaixe de marcação, erramos muito com a posse de bola.

Às vezes, é normal que isso aconteça com jogadores menos experientes, é até compreensível. Mas com jogadores experientes não é possível. Melhoramos nesse aspecto, mas o jogo de volta vai exigir algo diferente do que fizemos hoje.

Nós estávamos levando em consideração que hoje era o primeiro tempo de um jogo de 180 minutos, com condições desfavoráveis. Não pode tomar dois, três a zero aqui, porque sabe que lá não vai acontecer um milagre. Nesse aspecto, entendo que passamos pela primeira parte dos 180 minutos de forma satisfatória. Não estamos comemorando derrota, mas a gente sabe que levou uma condução que é possível reverter.

Dificilmente o treinador manterá a formação desta quarta na segunda partida. A tendência é que o time volte a ser mais ofensivo. O Flamengo, no entanto, volta a pensar em Campeonato Brasileiro. No sábado, enfrenta o Grêmio, em Brasília, pela 16ª rodada. A delegação viaja na tarde desta quinta para a capital federal.

(Fonte: Site CRF)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.