Luís Roberto Barroso será o 33º ministro do Rio no STF

Salvador, BA – Luís Roberto Barroso, indicado pela presidente Dilma Rousseff para vaga no STF (Supremo Tribunal Federal), chegou na manhã desta sexta-feira (24) ao Congresso Jurídico, em Salvador, e disse que evitará temas como mensalão e casamento gay, até posicionamento do Senado sobre sua indicação.

“Eu fiquei honrado. Muito feliz com a indicacão para poder servir ao país. Fiz toda minha vida em escola pública”, disse Barroso, no primeiro dia após ter sido indicado pela presidente. Ele participa na capital baiana do 13º Congresso Brasileiro de Direito do Estado, no Bahia Othon Palace Hotel.

“Eu fiquei muito surpreso. Agora vamos aguardar a posicão do Senado.” Barroso disse que desde que tentou ser ministro do STF “viveu a vida como deveria”. Apesar da indicação, ele disse que não considera “própria” a posse até a sabatina do Senado.

Durante sua fala no congresso, Barroso disse que a Constituição de 1988 superou “um ciclo de atrasos”. “Até 1988 era uma tradição de quebra de legalidade, de golpes. Nos últimos 25 anos, superamos os ciclos de atraso. A Constituição brasileira de 1988 só não traz a pessoa amada em três dias. É uma constituição abrangente.”

Ao ser anunciado, Barroso disse que não se sente ministro. “As ultimas 24h foram um pouco tumultuadas, confesso. Mas quando me perguntaram se eu iria ao Congresso [Jurídico] na Bahia, eu disse que sim. A gente na vida tem sempre de cumprir a palavra que dá.”

“Eu adoro estar aqui [no congresso]. Essa é a vida que escolhi para mim.”

Ele citou ainda, para uma plateia de 780 pessoas, a música “Dona do Dom”, interpretada por Maria Bethania, para exemplificar o “dom de professor”.

(UOL) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.