Jovens participam do encerramento da Semana Missionária Pré-Jornada – 23 a 28 de julho

São Paulo – Uma missa celebrada ontem (20) na Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira (FEB), na zona norte da capital paulista, marca o encerramento da Semana Missionária Pré-Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – programada para a próxima semana no Rio de Janeiro com a presença do papa Francisco.

O cardeal dom Odilo Scherer abençoa os fiéis ao final do encontro, previsto para as 19h30. A Polícia Militar não estimou o número de participantes presentes, mas os organizadores informaram que a expectativa era reunir até 50 mil pessoas.

Durante o evento, as pessoas cantavam, posavam para fotos e seguravam as bandeiras de seus países, como o Canadá, a Venezuela, o México, Equador e os Estados Unidos. Uma das pessoas que vieram do México para acompanhar a visita do papa ao Brasil foi Mario Rojero, 28 anos. “Estou feliz por ter estado esta semana aqui [em São Paulo], rumo ao Rio de Janeiro”, disse ele à Agência Brasil, contando que teve que economizar bastante e pedir uma permissão em seu trabalho para poder vir ao Brasil acompanhar a vinda do papa.

A estudante Denisse Rodrígues, da República Dominicana, também veio ao país só para ver o papa. “É muita emoção ver a alegria das pessoas reunidas, compartilhando a fé em Deus”, disse ela.

Karina Damasceno, 19 anos, também estudante, levou três dias viajando de ônibus no trajeto Ceará-São Paulo para participar da Semana Missionária. “É uma semana bastante abençoada, glorificada por Deus. E prova que os jovens, a cada vez mais, estão para louvar e servir ao Senhor”, disse ela, que ficou hospedada na casa de uma tia, em São Paulo. Ela não vai ao Rio de Janeiro para acompanhar os eventos da jornada, mas disse que verá o papa Francisco na semana que vem, em Aparecida (SP).

Voltado aos jovens, o encerramento da Semana Missionária também atraiu idosos como Maria Dalva, 65 anos, moradora de São Paulo. “Vim assistir ao show e me congratular com a jornada”, disse ela à Agência Brasil. Ao lado de Maria Dalva, bem na frente do palco que foi montado para a missa, Adelaide de Jesus Simões, que vai fazer 89 anos no próximo mês, disse que não estava cansada e que pretendia acompanhar todo o encontro. “O jovem hoje está muito afastado da igreja. O jovem precisa voltar para ela”, disse.

Um dos organizadores do evento de hoje foi o padre Tarcisio Marques Mesquita, coordenador da Secretaria Pastoral da Arquidiocese de São Paulo. Para ele, um evento como este é importante para os jovens católicos.

“[A juventude não é um pequeno grupo isolado lá na periferia ou no centro”, destacou. De acordo com ele, os jovens da arquidiocese são formados por vários grupos, de realidades sociais diferentes. “Esse encontro é uma fusão dessa realidade juvenil da cidade como um todo.”

Sobre o papa, padre Tarcisio diz reconhecer nele mais do que um símbolo de unidade da Igreja Católica. “O papa Francisco tem sido mais do que um símbolo de unidade da igreja Católica. Ele tem se mostrado muito solidário e fraterno. Isso é uma demonstração de que estamos dando bons passos para um mundo mais pacífico e solidário”, falou.

Segundo a Arquidiocese de São Paulo, mais de 10 mil estrangeiros foram recebidos na capital paulista para o evento. Esses jovens, que ficaram hospedados em, grande parte, em casas de famílias e paróquias. Agora, seguirão, junto com os paulistas peregrinos, para a Jornada Mundial da Juventude, que ocorre entre os dias 23 e 28, no Rio de Janeiro.

(Agência Brasil) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.