Inter joga mal, perde para o Tigres e o Brasil está fora da final da Libertadores

Internacional vacila e está fora da final da Libertadores
Internacional vacila e está fora da final da Libertadores
Internacional vacila e está fora da final da Libertadores

México – Com má atuação, o Inter está fora da Libertadores. Por 3 a 1, os colorados foram eliminados pelo Tigres, no México, na segunda partida da semifinal da competição. O Inter praticamente não viu a bola no primeiro tempo. Os 60% do tempo em que o Tigres ficou com a bola não são mera estatística. Sem domínio, os colorados não conseguiram criar e nem armar jogadas de ataque.

Aos 17 minutos de jogo, Gignac, livre, cabeceou a sobra para dentro do gol de Alisson.

Aguirre não tinha o que fazer. O técnico está proibido de se comunicar com o auxiliar Enrique Carrera desde o primeiro confronto pela semifinal, após ser suspenso pela Conmebol.

Depois de sofrer o primeiro gol, o Inter, que já não produzia, parou em campo. Tanto que a primeira finalização em direção ao gol do Tigres só aconteceu quando faltavam 10 minutos para o primeiro tempo findar.

E piorou: totalmente desengonçado, Geferson, na frente da área, pegou mal na bola ao tentar o corte e fez gol contra.

O Inter foi para o intervalo perdendo por 2 a 0 e voltou para o segundo tempo sem modificações.

INTER PERDIDO

Um gol colorado levaria a partida aos pênaltis. Mas nem a formação e nem a postura do time mudaram em campo.

Aos 4 minutos, William, driblado dentro da área, fez pênalti infantil em Aquino, que havia passado como quis pelo lateral. Rafael Sobis foi para a bola e chutou fraco: Alisson defendeu.

A defesa do arqueiro colorado poderia ser a reação de um Inter apático em campo. Mas foi o Tigres que mostrou que queria continuar jogando.

Depois de receber de Sobis, Damm foi à linha de fundo e alçou para Arévalo Ríos. Livre, o meia cabeceou de peixinho para dar ares de goleada ao placar: 3 a 0.

A essa altura, Sasha já estava em campo. Entrou no lugar de Nilmar. Foi dele a melhor chance colorada na partida. Na pequena área, o atacante completa de cabeça um desvio feito por Lisandro López. O goleiro Guzmán operou um milagre ao se esticar para salvar o Tigres.

A partir daí, os mexicanos não se preocuparam em produzir mais. E o Inter continuou sem conseguir jogar. Com o resultado, os colorados precisavam marcar dois gols para enfrentar o River Plate na final da Libertadores 2015.

Enrique Carrera substituiu o lateral William por Rafael Moura. Mas, na prática, pouca coisa mudou nos gramados de Monterrey.

Com 43 minutos, D’Alessandro ainda deu um sopro de esperança ao torcedor colorado ao descontar o placar para 3 a 1.

Na próxima quarta-feira, o Tigres recebe o River Plate em casa para a disputa da primeira partida da final. Apesar de ter feito melhor campanha que os argentinos, os mexicanos não podem decidir em casa, pois a Conmebol impõe que o confronto ocorra na América do Sul.

Já o Inter volta a campo no próximo domingo, contra a Ponte Preta, pela 15ª rodada do Brasileirão. A partida será em São Paulo.

FICHA TÉCNICA Tigres 3×1 Inter Local: Estádio Universitário, Monterrey, México

Tigres: Guzmán; José Torres, José Rivas, Juninho e Israel Jiménez; Arévalo Ríos, Guido Pizarro, Javier Aquino (Damián Álvarez) e Damm; Rafael Sobis e Gignac. Técnico: Ricardo Ferreti Inter: Alisson; William (Rafael Moura), Ernando, Juan e Geferson; Rodrigo Dourado, Aránguiz, D’Alessandro e Valdívia (Alex); Lisandro López e Nilmar (Sasha). Técnico: Enrique Carrera.

Gol: Gignac, aos 17, e Géferson (contra), aos 40 minutos do primeiro tempo; Arévalo Ríos, aos 11, e D’Alessandro, aos 43 minutos do segundo tempo. Cartão amarelo: José Torres (TIG); Rodrigo Dourado (INT)

Amazonianarede-Gaucha

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.