Ginástica rítmica brasileira faz bom papel no mundial da Ucrânia

(Foto: Internet)

A ginástica rítmica do Brasil vem conquistando o seu espaço internacionalmente e mostrado o seu crescimento durante competições importantes. Uma prova disso foi o desempenho das seleções Individual e de Conjunto durante o Campeonato Mundial, encerrado neste domingo, 1 de setembro, em Kiev, na Ucrânia.

No sábado (31 de agosto), o Conjunto, além de ter apresentado bonitas séries nos cinco pares de maças e nas três bolas e duas fitas, tem mais um motivo para comemorar, já que ficou na reserva para a final das três bolas e duas fitas.

No geral, o Conjunto ficou na 12ª colocação, com 30,383 pontos. Nos cinco pares de maças, somou 15,083 e ficou em 15º, enquanto nas três bolas e duas fitas, fez 15,300 e assegurou o 10º lugar. Com o resultado, é uma das equipes reservas na final desse aparelho.

A técnica Camila Ferezin comemorou o resultado. “Nós estamos muito felizes. A ginástica rítmica brasileira está em festa e isso é apenas o começo do ciclo olímpico. Tivemos erros nas duas coreografias e, mesmo assim, ficamos bem na classificação. Isso mostra que evoluímos bastante”, afirmou. “Eu assumi a Seleção em 2011, com o Brasil em 26º lugar e sabia que seria uma responsabilidade grande e difícil. Em dois anos, conseguimos retornar ao cenário Mundial e finalizamos essa competição entre as 12 melhores”, completou.

O Brasil foi representado também pela Seleção Individual, com Angélica Kvieczynski e Natália Gáudio, que se apresentaram ao lado de 95 ginastas, na quarta-feira (28) e quinta-feira (29). No Individual Geral, Angélica foi a 33ª colocada e Natália a 35ª. Angélica ficou em 30º lugar no arco, em 32º na bola, em 35º nas maças e na fita. Já Natália foi a 41ª no arco, 31ª na bola, 37ª nas maças e em 28ª na fita.

Luciene Resende, conselheira da Federação Internacional de Ginástica (FIG) e presidente da Confederação Brasileira (CBG), que está na Ucrânia, parabenizou a delegação brasileira pelo trabalho. “Nós estamos muito satisfeitos com o desempenho das nossas ginastas não só no Campeonato Mundial, mas também em outras competições importantes. Elas estão muito empenhadas e de parabéns pelos resultados. Iniciamos bem este ciclo e, com certeza, estamos no caminho certo rumo aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Todo esse reconhecimento internacional que estamos tendo é fruto de um trabalho árduo da CBG, COB, Ministério do Esporte, das nossas atletas e dos profissionais envolvidos, que estão colocando a ginástica rítmica do Brasil no lugar que ela merece”, comentou.

MANAUARA NA EQUIPE

As integrantes da Seleção de Conjunto são Beatriz Pomini, Bianca Maia Mendonça (amazonense), Dayane Amaral, Débora Falda, Francielly Machado Pereira e Gabriela Paixão Ribeiro, comandadas por Camila Ferezin. A assistente técnica é Iracema Alves, a coreógrafa é Bruna Rosa e a chefe de equipe é Maria Cristina Vital. Pelo Individual, a treinadora de Angélica Kvieczynski é Anita Klemann e a de Natália Gáudio é Monika Queiroz. A chefe de delegação é Dalza Batista. A árbitra brasileira é Maria da Conceição Costa, o médico Reuthemann Madruga, a fisioterapeuta Elda Carvalho e a psicóloga Lenamar Vieira.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.