Festival de xadrez auxilia ensino da matemática em escola municipal

Jogo de Xadrez, ajuda no ensino da matemática
Jogo de Xadrez, ajuda no ensino da matemática
Jogo de Xadrez, ajuda no ensino da matemática

Manaus, AM – Cerca de 60 alunos do 4º e 5º ano da Escola Municipal Joaquim da Silva Pinto, localizada no Crespo, zona Sul, trocaram a sala de aula pelo pátio da unidade de ensino, na manhã desta quinta-feira, 3, para a realização do 3º Festival de Xadrez do colégio. O evento incentiva a prática da modalidade como ferramenta no auxílio da matemática.

s tabuleiros foram colocados na mesa do refeitório e cada aluno jogou seis partidas. Com auxílio de um programa digital de pontuação da Federação Amazonense de Xadrez, os duelos eram definidos, levando em conta o índice de vitórias de cada competidor.

De acordo com o coordenador do festival, Vivaldo Serafim Júnior, a prática do xadrez na escola nasceu pela necessidade de uma ajuda no aprendizado da matemática, visto que o esporte incentiva o desenvolvimento do raciocínio lógico e a concentração.

“Todos sabem que o xadrez é um grande estimulante do raciocínio, desenvolve o cognitivo e a concentração. Então, não é à toa que o projeto está atrelado à matemática. Depois que iniciamos o festival, percebemos que os alunos melhoraram a concentração e o desenvolvimento intelectual. O festival também funciona como uma oportunidade para os alunos praticarem uma modalidade que até pouco tempo não era acessível às classes sociais mais baixas”, explicou.

Além de melhorar o aprendizado da disciplina mais temida entre os estudantes, o festival tem transformado vidas. Esse é o caso do estudante Marlison da Silva, 16, aluno do 5º ano que sofreu paralisia cerebral. Ele conseguiu desenvolver a fala e movimentos motores após conhecer o esporte. O garoto gostou tanto de praticar que é um dos melhores jogadores da escola.

“O xadrez é um esporte muito bom porque abre a mente e trabalha também o físico.  Eu melhorei muito jogando xadrez”, disse o aluno, segundo colocado do Festival de Xadrez.

Marlison perdeu na final do festival de xadrez para a talentosa Ana Carolina Lima, 11, aluna do 4º ano. Ela chamou atenção pela tranquilidade com que moveu as pedras no tabuleiro, resultando em um xeque-mate, a jogada perfeita do esporte.

“O xadrez me ajudou nos estudos. Hoje, eu vivo jogando xadrez e gosto muito de enfrentar o Marlison, porque ele é o mais forte”, afirmou a atleta que foi terceira colocada nos Jogos Escolares do Amazonas este ano.

Melhoria no desempenho

A diretora da escola, Miriam Santana, contou que é perceptível a melhoria no desempenho dos estudantes. Segundo ela, utilizar o esporte como auxílio das aulas é uma ferramenta eficaz, que trouxe a unidade de ensino um ambiente agradável aos alunos.

“Você sabe que quando se trata de esporte, as crianças se dedicam. Uma das imposições que fizemos é que esses alunos não queiram somente o jogo, mas que através do jogo, melhorem o rendimento escolar. Ontem, fizemos provas e detectamos resultados satisfatórios”, destacou, ao lembrar que a escola deverá ter resultado positivo no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).

Amazonianarede-Semcom

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.