Espera por liberação: na fronteira com a Bolívia caminhões são furtados

Não se sabe mais quem está certo ou errado. O fato é que os caminhoneiros estão passando maus momentos na fronteira do Acre com a Bolívia, após estacionarem seus veículos com cargas de todos os tipos à espera da liberação de passagem ao país vizinho.

Várias reclamações estão sendo feitas há tempos pelas duas partes, tanto do motorista, quando dos moradores e autoridades. Até mesmo uma lei municipal já foi aprovada para impedir a permanência dos veículos de grande porte na rua que é uma ladeira acentuada.

São carretas com brita, cimento, material para construção de todos os tipos, areia, barro, açúcar, óleo de cozinha, combustível e outros, que ficam paradas às vezes por dias a espera da liberação por parte do posto aduaneiro da Receita Federal, que por sua vez, não dispõe de pessoas suficientes para atender todos num só dia.

A exemplo, somente nesta segunda-feira, dia 19, mais de 50 carretas tomaram a Avenida, além dos caminhões pipas com combustível estacionados ao lado do estádio de futebol e alguns passaram todo o final de semana a espera de serem atendidos e liberados.

Para piorar, os motoristas passaram a ser alvos de ladrões, fato raro na fronteira. Na madrugada desta segunda-feira, dois caminhões tiveram parte de sua carga furtada. De uma, levaram caixas de óleo de cozinha, e de outra, fardos de açúcar e terão que pagar do seu bolso pelo prejuízo.

O caso foi registrado na delegacia e os motoristas pedem mais celeridade no atendimento do posto da Receita Federal e lugar apropriado para estacionar. Reclamam que sequer podem usar o banheiro do posto.

(Reportagem: Alexandre Lima)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.