Entidades de classe da engenharia poderão contribuir na requalificação do Centro

(Foto: Ascom)

A Secretaria Municipal do Centro (Semc) apresentou a 13 entidades de classe da engenharia o conjunto de ações idealizadas pela pasta para restaurar e requalificar a área central de Manaus nesta terça-feira, 8.

Segundo o secretário da Semc, Rafael Assayag, a expectativa é que as associações, entidades e sindicatos da área de engenharia contribuam para aprimorar e democratizar os projetos idealizados. Entre as entidades presentes na reunião, seis têm assento no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea).

O projeto Viva Centro que sensibiliza lojistas para reordenar o Centro e traz propostas de modernização da iluminação das ruas, de construção de shoppings e galerias populares, foi apresentados pelo secretário aos representantes de entediantes.

Além da Operação Centro Seguro e do Censo Centro 2013 realizado pela SEMC em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Serviço Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Programa Bolsa Universidade que identificou mais de 2 mil camelôs atuando na área central.

“O próximo passo é pegar as contribuições dessas entidades. Ninguém melhor que a Associação de Engenheiros de Pesca para falar sobre o pescado comercializado no Mercado Municipal Adolpho Lisboa. Ninguém melhor que a Associação dos Engenheiros Agrônomos para falar da hortifruticultura; que a Associação dos Engenheiros Eletricistas para nos indicar qual a melhor forma de reduzir as fiações nas ruas. É uma gama de informações e a democratização do debate sobre a requalificação do Centro que ganha aliados e defensores”, disse Rafael Assayag.

O presidente do Crea, Telamon Barbosa Firmino Neto, avaliou as propostas da Semc para o Centro como técnicas e objetivas. “Acredito que com as entidades de classes presentes nós possamos contribuir significativamente para que tudo se materialize. A impressão é positiva isso é a marca do atual governo: uma proposta técnica e objetiva”, destacou.

Para o representante do Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Amazonas, José Augusto, o projeto da Nova Manaus Moderna que pretende transferir o embarque e desembarque de mercadorias para áreas mais apropriadas e embelezar a orla próxima ao Mercado Municipal foi o que mais lhe chamou atenção.

“Manaus terá sua cara antiga. Assumia e saia prefeito e nada era feito. É uma nova mentalidade e Manaus vai ganhar uma cara nova”, disse.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.