Embrapa Amapá receberá missão africana de pesquisadores

A Embrapa Amapá receberá, de 15 a 20 de agosto deste ano, uma missão africana formada por pesquisadores de instituições da Nigéria que vêm conhecer pesquisas e experiências de produtores locais com cultivo de peixes.

No último dia 31, o consultor Meite Hamadou esteve na Embrapa definindo a programação e fazendo os primeiros contatos com o chefe-geral substituto, Joffre Kouri e os pesquisadores Rogério Mauro Machado Alves, Eliane Yoshioka, Jamile Araújo e Marcos Tavares Dias. Na ocasião, Joffre Kouri informou sobre a estrutura das pesquisas de aquicultura e a equipe composta de cinco pesquisadores e colocou a Embrapa Amapá à disposição da missão africana.

O consultor Meite Hamadou, nascido na Costa do Marfim e radicado no Brasil (São Paulo) há 20 anos, explicou que a agenda de trabalhos da missão africana ao Brasil acontecerá no período de 12 a 23 de agosto, sendo composta de 50 pessoas de nove países da África. Eles se dividirão em grupos para conhecer in loco experiências de pesquisas da Embrapa mandioca e Fruticultura, Embrapa Gado de Leite, Embrapa Gado de Corte, Embrapa Hortaliças, Embrapa Arroz e Feijão, Embrapa Amapá e Milho e Sorgo.

Além dos técnicos do Banco Mundial também virão na missão africana um grupo de pesquisadores vinculados ao Conselho Oeste e Centro Africano para a Pesquisa e Desenvolvimento Agrícola, ao Programa Oeste Africano sobre a Produtividade Agrícola e ao Fórum para a Pesquisa Agrícola na África (Fara). Este último é uma organização que reúne e forma coalizões de principais interessados em pesquisa e desenvolvimento agrícola na África.

O Fórum complementa as atividades inovadoras de nacionais, internacionais e instituições de pesquisa sub-regionais para oferecer serviços mais ágeis e eficazes aos seus públicos de interesse, desempenhando um papel de defesa e coordenação para a pesquisa agrícola para o desenvolvimento. “Estas instituições africanas estão envolvidas conjuntamente. Isto demostra o grau de importância das missões, e de outro lado aqui no Brasil, a Embrapa com as suas Unidades de pesquisa identificadas para as visitas”, ressaltou Meite Hamadou.

(Fonte: Extra Amapá)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.