Em Manaus, começam visitas monitoradas do Projeto Salve o Mindu

(Amazonianarede – Semcom)

Alunos e professores das 10 escolas municipais envolvidas com o ‘Projeto Salve o Mindu’ começaram a cumprir nesta segunda-feira, 16, a programação de visitas monitoradas ao Parque Municipal Nascentes do Mindu, na Cidade de Deus.

As visitas fazem parte do cronograma de atividades do programa desenvolvido pela Prefeitura de Manaus, por meio das secretarias municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Educação (Semed), Saúde (Semsa), Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp) e o Grupo Imbaúba.

A primeira visita ocorreu na manhã desta segunda-feira, 16, e a programação se estenderá até a próxima sexta-feira, 20. O objetivo é levar as crianças e os familiares a conhecerem o parque de proteção integral que abriga as nascentes do maior igarapé da cidade de Manaus, o igarapé do Mindu. Durante a visita, é feito o mapeamento com as crianças, que permitirá identificar a relação delas com o parque, as nascentes, o igarapé e o descarte de resíduos sólidos feito no curso d’água.

A primeira turma a visitar o parque, dentro do projeto, foi da Escola Municipal Moacir Elias de Araújo, situada no Val Paraíso, Jorge Teixeira, 4ª etapa. A escola é uma das dez situadas na área do entorno do Parque Nascentes do Mindu. O gestor da escola, Laemanuel Mustaffa Paes de Lemos, elogiou a iniciativa e explicou que o projeto é importante à medida em que insere novos hábitos no dia a dia das crianças e faz com que elas conheçam o igarapé com as águas preservadas, bem diferente da realidade a que estão acostumados a ver.

A assessora técnica da Semmas, Kelly Souza, afirma que as visitas têm por finalidade permitir que os participantes identifiquem espécies da fauna e flora e a relação destas com os recursos hídricos.

“No mapeamento, elas identificam as características do lugar e desenham o que viram no parque e a relação das espécies florestais associadas à presença da água. A partir dessa compreensão da realidade do igarapé do Mindu e das nascentes, os participantes entendem a importância de manter o local limpo e preservado, bem como colaborar para a limpeza do igarapé nas proximidades da sua casa”, afirmou.

Kelly explica que a participação da comunidade no processo é importante. Além de visitar a escola e realizar o plantio simbólico de duas mudas no Parque Nascentes do Mindu, cada escola recebe 100 mudas para que possa fazer o plantio na própria sede, desde que haja espaço, ou para distribuição com os pais e responsáveis.

Pais se empolgam

A participação dos pais foi intensa nessa primeira visita. A dona de casa Luiza Costa, 27, acompanhou o filho Alexandro, de 8 anos, na atividade. “Morei aqui na frente do parque e agora moro próximo, na Rua Uirapuru, e ainda não tinha visto a importância do igarapé que nasce limpo e na comunidade onde moro já está poluído e sem vegetação. É importante que não só eu e meu filho, bem como os outros moradores da área entendam isso”, afirmou.

Até a sexta-feira, as visitas acontecerão em dois turnos (manhã e tarde), com turmas de 40 alunos por turno. As visitas são acompanhadas por representantes da Semmas e da Semed, além da coordenadora do projeto pela Semed, Rita Lopes, e o compositor amazonense Celdo Braga. De acordo com a Divisão de Educação Ambiental da Semmas, de cada grupo de 40 alunos, serão escolhidos quatro estudantes que participarão de um curso de formação de multiplicador ambiental, com início previsto para outubro, para atuar na sua comunidade.

Participarão do Projeto Salve o Mindu as escolas municipais Dom Jackson Damasceno, Gilberto Rodrigues, Nossa Senhora do Rosário, Poesta Mária Quintana, João Castro Filho, Sônia Maria Barbosa, Raul de Queiroz Veiga, Senador Álvaro Maia e Edinir Telles.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.