É Solidariedade ou fanatismo?

Osny Araújo*

Não resta nenhuma dúvida de que a intenção dos jovens militantes do Partido dos Trabalhadores, em Brasília, em promover eventos, como um recente jantar, para arrecadar fundos para o pagamento das pesadas multas sofridas por quatro “companheiros” condenados pelo STF, entre eles algumas estrelas do Partido, como o ex-ministro José Dirceu e os deputados José Genuíno, João Paulo Cunha e o assecla Delúbio Soares, no rumoroso caso do “mensalão”, é um péssimo exemplo e que não pode e nem deve ser seguido pela sociedade, embora o PT, pela sua ala jovem brasiliense, deseje que a ideia se espalhe pelo Brasil inteiro.

Os jovens petistas brasilienses juram de joelhos, mãos postas e olhar para o céu, que os companheiros foram condenados injustamente, por isso, a militância deve ajudar a pagar a conta. Um absurdo. Inocentes, no caso os militantes, pagar pelos crimes cometidos pelos “caciques” do Partido, mesmo sabendo que foram condenados pelo Supremo Tribunal Federal e com direito a ampla defesa.

O badalado jantar de Brasília pela mídia, numa bem frequentada churrascaria, com o preço variável entre R$ 100 e 1.000,00, por adesão, conseguiu aproximadamente 75 pessoas de 150 compromissados e muitos que compraram sequer apareceram. Vai ver, que estes não quiseram aparecer para o público com participante dessa infeliz ideia. É aquela história, ajudo, mas não apareço. A arrecadação não foi divulgada, mas pagando as despesas, não teria chegado aos R$ 20 mil.

No restaurante o per capta, sem bebidas alcoólicas foi R$ 42. Para pagar a multa de R$ 1.800.000,00 será preciso à realização de muito mais promoções e adeptos da infeliz ideia de ajudar a sanar as multas da corrupção dos companheiros. Fico na dúvida se isso é solidariedade ou fanatismo.

O fato amigos, é que esses “santinhos” condenados no “mensalão” tem falta de moral, caráter, dignidade, mas nunca de dinheiro, por isso, acho que o sacrifício e a exposição dos “companheiros”, não em muito sentido, a não ser se formos olhar pelo lado do fanatismo, o que não é uma coisa boa.

Essa questão de promover jantar para pagar aplicadas pela justiça em condenados por corrupção, que vem sendo organizado por setores jovens do PT, sem o comando, mas com os bons olhares do partido, cheira muito ao fanatismo e o fanático, só que presta e o que é certo é o que ele quer e o que ele pensa. Tudo a seu favor é correto, ainda que não seja e tudo que lhe contraria é errado, ainda que correto. Esse parece o caso dos amigos jovens do PT em Brasília.

E por falar em fanatismo, vamos esmiuçar um pouco a questão. “Fanatismo, do francês fanatisme) é o estado psicológico de fervor excessivo, irracional e persistente, por qualquer coisa ou tema, historicamente associado a motivações religiosas, políticas e esportivas. É extremamente frequente em paranóides, cuja apaixonada adesão a uma causa, pode avizinhar-se do delírio”. “Companheiros” reflitam e saber se esse realmente é o caminho que desejam percorrer, para que mais tarde não venha o arrependimento.
Nunca é tarde lembrar, que o fanatismo é uma espécie de cegueira em quem enxerga, mas não quer ver. Só é correto o que ele entende, o resto está tudo errado. Coisa de fanático.

Pensando pelo lado real da coisa, essa história de jantar do PT para pagar multas de corrupção, para condenados pela Justiça, chega a ser um ato de desrespeito ao Poder Judiciário, considerando que a distribuição da Justiça deve ser igual para todos e ainda poderá ser visto também, como uma ação tipicamente antipatriótica.

(Postagem simultânea nos sites: Noticianahora, Amazonianarede, Tadeudesouza e blog Jornalismo Eclético).
*Osny Araújo é jornalista e analista político.
E-mail: [email protected][email protected]

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.