Dez municípios respondem por 69,15% do PIB paraense

Amazonianarede – Agência Pará 

Belém, PA – Dez municípios respondem por 69,15% no Produto Interno Bruto (PIB) do Pará, de acordo com números de 2010, divulgados nesta quarta-feira, 12, pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números relativos ao PIB dos 143 municípios paraenses estão disponíveis no site do Idesp, no link: http://www.idesp.pa.gov.br/pdf/pib/PIBMunicipal2010.pdf

O documento apresenta a distribuição, de forma descendente, do Valor Adicionado (VA) calculado para o Estado pelos municípios, segundo suas atividades e setores econômicos (agropecuária, indústria e serviços).

O PIB do Pará totalizou R$ 77,8 bilhões em 2010, sendo que dez municípios se destacaram com 69,15% de participação no total do Estado. São eles: Belém, Parauapebas, Ananindeua, Marabá, Barcarena, Tucuruí, Santarém, Canaã dos Carajás, Castanhal e Paragominas. Em comparação a 2009, Belém e Barcarena perderam 5,3% e 1,4% de participação, respectivamente. Parauapebas ganhou 10,8% e Canaã do Carajás passou a integrar o ranking, antes ocupado por Oriximiná.

Já os dez menores resultados são relativos aos municípios de São João da Ponta, Santarém Novo, Peixe-Boi, Magalhães Barata, Santa Cruz do Arari, Terra Alta, Primavera, Palestina do Pará, Bannach e Inhangapi. Eles concentram apenas 0,38% do valor total do PIB estadual. As alterações no ranking, em relação a 2009, ocorreram apenas nas posições ocupadas pelos municípios integrantes.

PIB PER CAPITA

No que diz respeito ao PIB per capita, calculado a partir da razão do PIB e a população estimada de cada lugar, os dez municípios que se destacaram, inclusive com resultados acima da média estadual (R$ 10.259) foram: Parauapebas, Canaã dos Carajás, Barcarena, Tucuruí, Oriximiná, Floresta do Araguaia, Marabá, Belém, Almeirim e Paragominas. 

Os dez municípios com menor PIB per capita em 2010 não foram os mesmos que apresentaram o menor PIB, porém apresentaram baixas participações no PIB estadual. Jacareacanga possuía o menor PIB Per capita do Estado em 2009 e deixou esse ranking devido à estimativa populacional do IBGE, que reduziu a população do município para 14.040 habitantes. A diferença entre o maior (Parauapebas, R$ 103.404) e o menor (Curralinho, R$ 2.270) PIB per capita do Estado foi de R$ 101 mil em 2010.

Entre as Regiões de Integração (RI), duas delas, Metropolitana e Carajás, tiveram participação de 57,7% no PIB total do Pará. Destaca-se que a Metropolitana é a que mais perdeu participação nos últimos anos e a RI de Carajás foi a que mais ganhou. 

SETORES ECONÔMICOS

Ao se analisar as atividades e os setores econômicos distribuídos entre os municípios paraenses, percebe-se que a agropecuária apresentou uma pequena concentração se comparado a 2009. A pecuária bovina e a lavoura temporária foram as atividades que mais contribuíram aos municípios na formação do ranking do setor. A pecuária foi predominante em São Félix do Xingu, Novo Progresso e Novo Repartimento. Em Santarém, foi a Lavoura Temporária e, em Paragominas, essas duas atividades tiveram contribuições semelhantes.

Já a indústria foi o setor que apresentou maior concentração. As indústrias extrativa e de transformação foram as atividades que mais pesaram na composição do ranking do setor. Entre os cinco primeiros municípios, dois se basearam na indústria extrativa (Parauapebas e Canaã dos Carajás) e dois na de transformação (Belém e Barcarena). Em Tucuruí, porém, a atividade industrial principal foi a produção e distribuição de energia elétrica.

O setor de serviços foi o único a manter o nível de concentração em comparação a 2009. O comércio, a administração pública e os transportes foram as atividades que mais contribuíram para a composição do ranking. Entre os cinco primeiros municípios, Belém, Ananindeua e Marabá tiveram o comércio como a principal atividade.

Em Santarém, a administração pública predominou e, em Parauapebas, os transportes.

Em 2010, 28 municípios registraram uma participação de 50% ou mais da administração pública no total do VA municipal, ante 24 em 2009. Em contrapartida, 14 municípios registraram uma participação da administração publica no total do VA inferior à observada no Estado em 2009, quando foram 15 nessa situação
Dentre os municípios mais dependentes está Curralinho, que registrou o menor PIB per capita do Brasil. A economia do município se sustenta na administração pública que, no ano, participou com 61% no total do Valor Adicionado, dos quais 83,8% dizem respeito à administração pública federal. As demais atividades econômicas de maior impacto no valor adicionado do município foram: construção civil, pesca e extração vegetal.

Os resultados também se justificam pelo fato de a Resex de uso sustentável Terra Grande-Pracuúba abranger 33,7% da área do município e ser habitada por populações extrativistas tradicionais, cujas atividades principais são a agricultura de subsistência, a criação de animais de pequeno porte e o extrativismo vegetal.

As quatro tabelas do PIB municipal 2010 estão disponíveis em: http://www.agenciapara.com.br/sgn.net/anexos/TABELAS_PIB_MUNICIPAL_

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.