Desarticulação e falta de liderança

Osny Araújo*

Apesar dos esforços feitos pelo governador Omar Aziz, o prefeito de Manaus Arthur Neto e o relator da PEC, deputado amazonense, Átila Lins para aprovar na Câmara dos Deputados a prorrogação da Zona Franca de Manaus por mais 50 anos, como prometeu em campanha a presidente Dilma Rousseff, o feito foi por águas a baixo e agora, será necessário começar tudo de novo, quem sabe, com mais articulação da bancada amazonense e seus aliados.

O fato, é que mais uma vez São Paulo tenta atrapalhar a Amazônia, através de uma emenda do deputado “tucano” Carlos Sampaio, que estende pelos mesmos 50 anos os benefícios da chamada Lei da Informática que atua também fora da área de jurisdição da Zona Franca de Manaus.

Na verdade, o que houve foi uma quebra de acordo e o fato irritou muito o governador Omar Aziz e o prefeito Arthur Neto, que certamente continuarão na linha de frente dessa batalha que poderá ser travada em plenário no decorrer da próxima semana e esperamos. Que a nossa bancada e os amigos da Amazônia estejam mais articulados e possamos mais uma vez derrotar os paulistas que sempre aprontam contra os interesses da Amazônia e do Amazonas.

O fato, é que a Zona Franca de Manaus, apesar de ao longo dos anos vir sofrendo uma série de mutilações, já provou com todas as letras que esse foi um modelo de desenvolvimento socioeconômico para a Amazônia que deu certo. Fomentou a economia não apenas do Amazonas, mas regional e ainda ajuda a preservar a natureza nesta importante região do planeta e que por acaso está em território brasileiro.

Com a prorrogação da ZFM, que ainda creditamos, mesmo contra a vontade do todo poderoso estado de S. Paulo, a região continuará em franco desenvolvimento, ajudando em muito o PIB brasileiro, com as industrias que aqui estão e com os novos investimentos que certamente aportarão no moderno Pólo Industrial de Manaus, conhecido como PIM.

O fato, é que existe uma promessa feita pela presidente Dilma de prorrogar o tempo de vida da Zona Fraca e se realmente a presidente estiver interessada em cumprir com a palavra empenhada durante a campanha política que a levou ao Governo, não será a vontade um deputado ou uma bancada paulista que irá inviabilizar essa promessa.

Tenho certeza , de que se a presidente Dilma bater o pé, a PEC que prorrogará a Zona Franca de Manaus será aprovada com certa tranqüilidade, a final, o Governo tem uma bela base aliada e se a presidente realmente desejar, o fato será consumado quer os paulistas queiram ou não.

Enquanto aguardamos um novo “round” nessa votação, o governador Omar, prefeito Artur e outras lideranças políticas e empresariais do Estado, continuarão na trincheira na defesa da PEC que dará vida nova a Zona Franca de Manaus e abrirá novas estradas para que o desenvolvimento chegue com maior freqüência ao Amazonas e a própria Amazônia.

Entendo, que a hora não é de desespero. A hora é de trabalhar e articular para que possamos sair vitoriosos em mais essa batalha em defesa dos interesses do Amazonas, da Amazônia e da Zona Franca de Manaus, esse modelo de desenvolvimento de fundamental importância para o Brasil, que os paulistas queiram ou não.

Entendo que a Zona Franca de Manaus, deveria ser vista por paulistas e os demais estados das regiões sul e sudeste, como um projeto brasileiro que só tem proporcionando benefícios ao desenvolvimento socioeconômico do país, considerando que a Amazônia, ou melhor o norte brasileiro, também é Brasil, mesmo um tanto quanto abandonado pelo Planalto.

*Osny Araújo é jornalista e analista político
E-mail: [email protected][email protected]

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.