Deputados pressionam Governo Federal pela redução da dívida

Adjuto Afonso

Adjuto Afonso

Amazonianarede – Assessoria

Florianópolis – Com a proposta de pressionar o Governo Federal para baixar os juros das dívidas dos Estados com a União, foi realizado nesta sexta-feira (23) o Fórum “Desenvolvimento, Federalismo e a Dívidas dos Estados”, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), segundo informou o deputado estadual Adjuto Afonso (PP), que integra a comitiva amazonense da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM).

O evento é promovido pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), o Colegiado de Presidentes das Assembleias Legislativas do país e pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Adjuto Afonso informou que foi defendida pelos parlamentares a troca do indexador da dívida (de IGP mais 6% de jutos para o IPCA e juros de 2%, no máximo), além da redução do desembolso mensal para o pagamento do débito. “Naquela época que foi contraído as dívidas, vivíamos outra realidade. O Amazonas, por exemplo, deve mais de R$ 2,6 bilhões e está previsto no orçamento o pagamento de aproximadamente R$ 500 milhões de juros, que poderiam ser investidos em outras áreas, como Saúde e Educação”, destacou.

Na ocasião, o presidente da Unale, deputado Joares Ponticelli, disse que a Unale, juntamente com as Assembleias de todo o País, lembrou que as dívidas foram arroladas pelos Estados em uma realidade econômica adversa da realidade de hoje. “Naquela época, o indexador estabelecido era aceitável. Hoje não é mais. O País e o mundo mudaram”, afirmou.

O deputado Dinis Pinheiro, presidente do Colegiado de Presidente das Assembleias Legislativas e da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, enfatizou que o que o governo federal cobra dos Estados é uma verdadeira agiotagem.

(TEXTO e FOTO: Assessoria do deputado)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.