Deputado vai protocolar pedido de CPI para “apagões” em Manaus

Apagão em Manaus

Amazonianarede – Aleam

Manaus – O deputado estadual Marcelo Ramos (PSB) vai protocolar Requerimento solicitando a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as causas dos constantes apagões em Manaus. Com a assinatura do deputado estadual Sidney Leite (DEM), a oitava assinatura, na manhã desta terça-feira (4), um terço dos membros da Casa Legislativa se manifestaram favorável em dar uma resposta à sociedade.

Marcelo Ramos voltou a afirmar que a proposta não é de investigação da empresa federalizada Eletrobrás Amazonas Energia, e sim, uma proposta de investigação das causas que provocam apagões na cidade de Manaus e municípios da Região Metropolitana, por quatro vezes neste ano. “Tenho absoluta convicção da legalidade e constitucionalidade da propositura, até porque a Câmara Municipal de Manaus (CMM) já fez uma CPI tratando da matéria e não houve nenhum questionamento quando a legalidade, além disso, várias Assembleias Legislativas do País fizeram ou têm em andamento CPIs que avaliam o fornecimento do serviço de energia elétrica”, justificou o parlamentar.

Além de Marcelo Ramos, autor da proposta, assinaram o documento solicitando a CPI do Apagão os deputados Luiz Castro (PPS), José Ricardo (PT), Arthur Bisneto (PSDB), David Almeida (PSD), Orlando Cidade (PTN), Marcos Rotta (PMDB) e Sidney Leite.

OAB-AM

Marcelo Ramos aproveitou ainda para parabenizar o advogado Alberto Simonetti Cabral Neto, eleito o novo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Amazonas (OAB-AM), em eleição ocorrida na última sexta feira (30). Registrou também a valorosa participação dos advogados Oldeney Sá Valente, ex-presidente da OAB, e o ex-deputado estadual Miquéias Fernandes, que também concorrem no pleito.

“O novo dirigente da OAB terá muito trabalho”, disse Ramos, ressaltando que na segunda-feira (3) procurou a OAB, por conta de documentos antigos quando ainda atuava como advogado, percebendo o quando sofrem os advogados.

Segundo o deputado, a precariedade, a ineficiência e a absurda burocracia no funcionamento do Poder Judiciário no Estado do Amazonas torna atos simples, que deveriam ser feitos por meio de ofícios, em demorados. “O que exige a presença permanente do advogado nos balcões das varas”, afirmou, destacando ainda a ineficiência do Plantão Judicial Criminal.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.