Dengue: Mesmo com queda na infestação do mosquito, Semsa pede atenção

Manaus – O índice de infestação pelo mosquito da dengue, na capital amazonense, caiu de 2% em julho para 1,9%, em outubro, conforme levantamento realizado pela Prefeitura de Manaus, entre os dias 1º a 11 deste mês. Apesar da redução no índice, o secretário municipal de Saúde, Francisco Deodato, alerta que a combinação entre altas temperaturas e o início das chuvas exige o reforço das medidas preventivas básicas, que evitam a proliferação do mosquito.

“A dengue se combate o ano inteiro, mas a partir de agora é necessário redobrar os cuidados no ambiente doméstico, fazendo a vistoria permanente nos quintais, pátios, lajes e outras áreas abertas, para eliminar aqueles depósitos que possam acumular água da chuva e se transformar em criadouros de larvas do Aedes aegypti”, orienta Deodato.

O secretário destaca que camburões, tanques e outros depósitos do tipo, utilizados para armazenar a água para o consumo doméstico, devem ser mantidos bem tampados e também ser permanentemente vistoriados para identificar se há presença de larvas do mosquito da dengue.

É muito importante lavar com escova ou palha de aço, as paredes de recipientes como camburões que guardam água para uso doméstico ou dos bebedouros de animais. Com isso, eliminam-se os ovos do mosquito, que costumam ser depositados pela fêmea nas paredes desses depósitos.

“Normalmente, a desova não acontece diretamente na água, mas sim na parede do recipiente, bem próximo a sua superfície. Estes ovos são muito resistentes, podem sobreviver grudados na parede enxuta por mais de um ano, daí a importância de uma limpeza eficiente, para realmente eliminá-los, evitando que entrem em contato com a água”, diz o biólogo Vanderson Sampaio, assessor técnico do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria Municipal Municipal de Saúde (Semsa).

Médio risco

Pelos parâmetros do Ministério da Saúde, o resultado apurado pelo Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes Aegypti (LIRAa), na capital, é de médio risco para casos de dengue, patamar que vai de 1% a 3,8%. O LIRAa deste mês foi o quarto realizado este ano, em Manaus. Para realizar o levantamento, a Semsa inspeciou 27.197 imóveis, distribuídos por todas as zonas da cidade.

Executado trimestralmente, o LIRAa é uma das ferramentas utilizadas pela Semsa, para orientar as ações de controle da dengue na capital, permitindo que sejam priorizadas as áreas onde há maior infestação do mosquito transmissor da doença. No primeiro LIRAa do ano, realizado entre 9 e 20 de janeiro, o índice de infestação pelo mosquito da dengue, na capital amazonense, estava em 3,4%. Em abril, quando foi realizado o segundo levantamento, o indicador baixou para 2,7%. Em julho, ficou em 2%.

(FOTO: MARINHO RAMOS / SEMCOM)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.