Cruzeiro e Fla abrem disputa copeira em Minas

Juntas, equipes têm seis títulos de Copa do Brasil. Novo Mineirão abriga o clássico pela primeira vez nesta quarta-feira, pela fase de oitavas do torneio.

A relação do torcedor cruzeirense com a Copa do Brasil é de intimidade. Explica-se: o Cruzeiro é, ao lado do Grêmio, o maior vencedor da competição. Foram quatro títulos: 93, 96, 2000 e 2003. Em 17 participações, há ainda um vice-campeonato, em 98. Tradição por tradição, o Flamengo também tem a sua. O Rubro-Negro jogou a competição 17 vezes. E em cinco delas foi à final. Em 90 e 2006, vitória. Em 97, 2003 e 2004, vice. Na de 2003, aliás, derrota para o clube celeste. Será a sétima vez que se cruzam na disputa, mas há espaço para novos capítulos, novas linhas, novas boas histórias. Nesta quarta-feira, uma boa chance de escrevê-los. As equipes se enfrentam no novo Mineirão, às 21h50m (de Brasília), pelas oitavas de final. E é só o jogo de ida. A volta será no Rio, no novo Maracanã, na quarta seguinte, dia 28.

Novos estádios, novos times, realidades diferentes. Além de uma equipe entrosada e vice-líder do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro conta com a força do Mineirão. Desde a reinauguração do estádio, em fevereiro, após a reforma para a Copa das Confederações e Copa do Mundo, foram 15 jogos, com 14 vitórias da Raposa e um empate. Dentro de campo, o técnico Marcelo Oliveira tem à disposição o melhor ataque do Brasileirão, com 31 gols marcados em 15 jogos. O quarteto ofensivo do Cruzeiro, formado por Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart, Luan e Borges, tem a missão de construir uma vitória por boa diferença de gols para permitir ao time viajar com tranquilidade para a partida de volta, dia 28, no Maracanã.

O Cruzeiro encara o Flamengo com uma superstição. Nas duas vezes anteriores que eliminou o Rubro-Negro, foi campeão da Copa do Brasil. Em 1996, tirou o Fla nas semifinais e, em 2003, conquistou o título sobre os cariocas.

Os rubro-negros olham para a tabela do Brasileiro, enxergam o Flamengo naquela zona intermediária chata e o Cruzeiro no topo, na vice-liderança. E daí? É o que pensam os jogadores para a primeira partida. Por mais que o momento do adversário seja melhor, eles acreditam que entram na disputa por um lugar nas quartas de final em igualdade de condições.

Como serão dois jogos e a decisão vai ocorrer no Maracanã, acreditam, sim, na classificação, mesmo que o adversário viva uma fase mais consistente. Ciente do regulamento e preocupado em fazer e não sofrer gols, Mano Menezes pode optar por uma formação mais conservadora.

O árbitro Marcelo Aparecido de Souza (SP) apita a partida, acompanhado pelos assistentes Bruno Boschilia (PR) e Anderson José de Moraes (SP).

(Fonte: Globoesporte.com)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.