Copa dos Campeões: Brasil derrota a Itália e conquista o tetracampeonato

(Fonte: CBV)

O Brasil é tetracampeão da Copa dos Campeões. Na competição por pontos corridos, a seleção masculina de vôlei entrou em quadra, neste domingo (24.11), dependendo apenas do seu próprio resultado e, ao bater a Itália por 3 sets a 2 (25/22, 25/22, 23/25, 20/25 e 15/11), em 2h03, garantiu o título pela quarta vez em seis edições disputadas – 1997, 2005, 2009 e 2013.

O Brasil encerra a competição com 12 pontos somados em quatro vitórias e uma apenas derrota.

Com isso, a equipe verde e amarela não precisou nem esperar pelos outros dois jogos do dia (Rússia x Estados Unidos e Irã x Japão) para comemorar. Porém terá que esperá-los para participar da cerimônia de premiação, que acontecerá após a última partida.

Neste domingo, p oposto Wallace foi o maior pontuador do jogo, com impressionantes 28 acertos. O atacante pontuou 22 vezes no ataque, três no bloqueio e três no saque. O central Lucão também se destacou na pontuação, ao marcar 21 pontos – 17 de ataque, três de bloqueio e um de saque.

Com uma seleção renovada, contando com apenas cinco jogadores que estiveram nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano passado (Bruno, Sidão, Lucão, Wallace e Thiago Alves), o Brasil chega ao lugar mais alto do pódio deixando boa impressão. O central Lucão, eleito o melhor jogador em quadra na vitória sobre a Itália, elogiou o desempenho do time.

“Hoje, conseguimos jogar com inteligência, paciência e acredito que o nosso grupo amadureceu muito nesse campeonato passando por situações difíceis. Soubemos construir a competição. Por ser por pontos corridos, não demos mole e conseguimos fazer bons jogos. Os jogadores que estão chegando tinham que sentir o gostinho de ser campeão com a camisa do Brasil em uma competição fora do nosso continente. Temos que comemorar mesmo, mas logo botar a cabeça no lugar e saber que ainda temos muito o que evoluir. Temos, por exemplo, que ser um pouco mais decisivos em alguns momentos”, opinou Lucão.

O oposto Wallace comemorou o resultado e falou sobre a emoção de conquistar o título da Copa dos Campeões. “Trabalhamos bastante, treinamos muito para sair com esse campeonato na bagagem e espero que esse tenha sido o primeiro de muitos títulos da nossa geração. Vencer vestindo essa camisa é sensacional”, disse Wallace.

O levantador e capitão da seleção brasileira, Bruninho, lembrou as duas últimas finais importantes em que o Brasil ficou com a prata e falou sobre a posição de liderança que exerce dentro do grupo.

“Precisávamos muito desse título. Batemos na trave na Olimpíada, depois de novo na Liga Mundial desse ano, então era muito importante começar um ciclo olímpico com um título de peso como esse. Enfrentamos as melhores seleções do mundo e estamos muito felizes. Sinto que cada vez mais estou amadurecendo e o mais importante é que temos outros líderes em quadra. O Lucão também contagia o grupo, o Sidão tem esse papel e fico feliz por ver que os caras que estão chegando estão entendendo bem a filosofia de trabalho. Por isso tudo conseguimos conquistar esse título”, declarou Bruninho.

Conhecido pela exigência constante, o técnico do Brasil, Bernardinho, elogiou a performance e o comportamento da seleção. “Como o grupo iria sobreviver depois da derrota de ontem (contra a Rússia, por 3 sets a 2) era muito importante.

Um jogo como aquele nos consome física e emocionalmente. Voltar à quadra hoje e jogar um bom voleibol, mesmo que ainda com emoções, saber resistir a tudo aquilo e vencer uma partida é algo que há de ser louvado. A equipe foi um time, os jogadores que entraram deram conta do recado, como o Lipe e o Eder, e todos colaboraram no projeto”, disse Bernardinho.

O treinador lembrou ainda que o novo grupo do Brasil tem uma responsabilidade ainda maior que as demais seleções, por suceder uma equipe que fez história no vôlei mundial.

“Suprir as ausências de Dante e Vissotto, que participaram do ciclo anterior, também foi importante. Muito se fala que todas as seleções estão renovadas, mas nenhuma delas carrega o peso que esses rapazes que estão aqui têm. Eles carregam, certamente, um peso maior. Fico feliz pela capacidade dos jogadores que resistiram a uma batalha como a de hoje e por terem vivido tudo isso. Todas as situações vividas aqui nessa competição geraram, sem dúvida, uma experiência muito grande a esse grupo”, destacou Bernardinho.

O JOGO

A Itália abriu o placar do jogo. No bloqueio, o Brasil chegou ao empate em 2/2. A vantagem virou italiana no primeiro tempo técnico: 8/6. O central Lucão bloqueou e deixou tudo igual (10/10). No ace do ponteiro Lucarelli, a seleção assumiu o comando do placar em 12/11. O marcador seguiu equilibrado com vantagem de apenas um ponto para os brasileiros no segundo tempo técnico: 16/15. Com ponto de saque de Wallace, a equipe verde e amarela chegou a 18/16 e o técnico da Itália pediu tempo. Com mais um ace de Lucão, o Brasil fez 21/18. No erro de saque da Itália, o Brasil fez 23/20, e, na sequência, fechou o set em 25/22.

A seleção italiana saiu na frente, mas Lucarelli colocou o Brasil no comando do placar: 2/1. Depois de grande jogada, o central Lucão pontuou e a seleção brasileira fez 6/3. A seleção brasileira esteve em vantagem no primeiro tempo técnico: 8/5. Sidão parou o ataque italiano no bloqueio e o Brasil fez 11/6. Depois conseguiu mais um ponto de bloqueio, dessa vez com Lucão, e o placar foi a 18/10. A Itália diminuiu a diferença para 18/13 e Bernardinho pediu tempo. Os brasileiros voltaram a pontuar e, com Evandro, fizeram 21/15. Melhor em quadra, o time verde e amarelo fechou em 25/22.

O Brasil saiu na frente e fez 2/0 no início do terceiro set. Com o central Lucão, equipe brasileira abriu três de vantagem: 6/3. Mas a Itália buscou e virou o placar em 7/6. No lance seguinte, a equipe adversária pontuou novamente e foi para o primeiro tempo técnico vencendo por 8/6. A vantagem seguiu com a Itália, mas, com Wallace, o Brasil deixou tudo igual: 14/14. A parcial seguiu equilibrada e as equipes empataram de novo em 18/18. No ponto de saque do levantador Raphael, o Brasil passou a frente. Seleção brasileira abriu dois de vantagem na reta final do set: 22/20. Os italianos empataram em 22 pontos e Bernardinho pediu tempo. Mas o adversário seguiu melhor e fez 25/23.

Wallace abriu o placar do quarto set a favor do Brasil. A equipe verde e amarela ainda fez 3/1, mas os italianos chegaram ao empate em 3/3. A Itália assumiu de vez o comando do placar e chegou a fazer 9/6. Depois, ainda abriu quatro de vantagem em 11/7. O Brasil diminuiu a diferença para dois (12/10), mas a equipe italiana voltou a aumentar em 16/13.

Quando o placar foi para 18/14, Bernardinho parou o jogo. No ace de Lipe, Brasil se aproximou e fez 20/17. Mas os italianos seguirem firmes e fecharam em 25/20.

Lucarelli pontuou e o Brasil saiu na frente no tie break. Em grande passagem de Wallace pelo saque, e com o bloqueio funcionado bem, o Brasil chegou a 7/2. Na virada de quadra, a equipe verde e amarela vencia pelo dobro de pontos: 8/4.

Os italianos encostaram (9/8) e Bernardinho pediu tempo. Mas, no bloqueio do central Éder, a equipe brasileira voltou a abrir três de vantagem: 12/9. Depois, com garra e demonstrando muita vontade de vencer, o Brasil fechou em 15/11.

EQUIPES
BRASIL – Bruno, Wallace, Sidão, Lucão, Lucarelli e Maurício Borges. Líbero – Mário Jr.
Entraram – Raphael, Evandro, Lipe e Éder
Técnico: Bernardinho
ITÁLIA – Beretta, Kovar, Zaytsev, Lanza, Travica e Birarelli Líbero – Rossin
Entraram – Vettori, Baranowicz, Dolfo e Sabbi.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.