Condenado e preso, o PT lança em Minas a pré-candidatura de Lula à ao Planalto

Former Brazilian president Luiz Inacio Lula da Silva speaks during a rally in his support by trade unionists and members of social movements in Sao Paulo, Brazil on January 24, 2018. A Brazilian appeals court Wednesday upheld ex-president Luiz Inacio Lula da Silva's conviction for corruption, effectively ending his hopes of reelection this year. Two of the three judges in the appeals court in the southern city of Porto Alegre ruled that his original 9.5-year jail sentence should be extended to more than 12 years. / AFP PHOTO / Miguel SCHINCARIOL

Minas Gerais – Com o discurso de que não há alternativa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa pelo Palácio do Planalto, o PT realizou   nesta sexta-feira (8), em Minas Gerais um ato de “lançamento oficial” da pré-candidatura do petista, preso e condenado há dois meses em Curitiba após condenação na Operação Lava Jato.

Para reforçar o lançamento, o PT começou a vincular na última quinta-feira (7), nas redes sociais um jingle que pede a liberdade de Lula e o apresenta como “solução” para problemas do governo Michel Temer.

“Chama que o povo quer, chama que o homem dá jeito”, diz a música executada em um vídeo com imagens de portas de empresas fechando, da greve dos caminhoneiros, e, na sequência, do discurso de Lula em São Bernardo do Campo (SP) antes de se entregar à Polícia Federal e da manifestação de apoiadores em Curitiba.

Mensagem de Lula

Segundo  a Coluna do Estadão, o ex-presidente gravou vídeos antes de ser preso que foram exibidos nesta sexta-feira.

O partido chegou, inclusive, a pensar na possibilidade de colocar um holograma do petista no evento. O ato ocorre a partir das 18h em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.

Presentes em outros atos pró-Lula, os presidenciáveis Guilhermo Boulos (PSOL) e Manuela d’Ávila (PCdoB) não devem estar em Minas Gerais. Os dois mantêm agendas relacionadas às suas pré-campanhas e consideram improvável que os partidos de esquerda estejam juntos no primeiro turno da eleição.

Manuela chegou a admitir abrir mão de lançar seu nome, desde que os demais partidos concordassem com uma união, mas não recebeu gestos favoráveis como resposta.

No momento, o PT se nega admitir um “plano B” dentro do partido ou o apoio a outro presidenciável no primeiro turno. Nesta quinta, após visitar Lula na cadeia, o ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT) disse que Lula e Ciro Gomes, pré-candidato do PDT, têm um “encontro marcado” no segundo turno.

“Ciro tem essa vontade de ser presidente, o Lula também têm essa vontade. Por isso que estou dizendo: tem um encontro marcado no segundo turno da eleição”, disse Wagner, que já fez declarações considerando uma aliança com o pedetista.

O PT pretende registrar a candidatura de Lula no dia 15 de agosto e buscar na Justiça a manutenção do nome do ex-presidente no pleito

Amazoninarede-Estadão

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here